Participação, e não abstenção, influenciou resultados eleitorais na Colômbia e no Chile

Publicado em 04/07/2022 às 21:07

Publicações compartilhadas mais de 10 mil vezes nas redes sociais ao menos desde 19 de junho de 2022 apontam supostas altas taxas de abstenção como decisivas para a vitória da esquerda na Colômbia, com Gustavo Petro, e no Chile, com Gabriel Boric. Mas dados oficiais mostram que mais eleitores participaram do último pleito nos dois países, ainda que o voto não seja obrigatório em ambos os casos. À AFP, analistas locais apontaram esse como um dos fatores que impactaram nos resultados, ao contrário da abstenção.