A pessoa presa nesta foto é o ator Cuba Gooding Jr., não o chefe de campanha de Joe Biden

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Milhares de usuários compartilharam, desde o último dia 14 de novembro, a foto de um homem escoltado por agentes de segurança, afirmando que o chefe da campanha eleitoral de Joe Biden, que identificam como Dallas Jones, havia sido preso. Algumas publicações detalham que a prisão ocorreu por “fraude”. A imagem mostra, contudo, o ator Cuba Gooding Jr. e não Jones, funcionário da campanha do democrata no Texas que, além disso, não foi preso, mas acusado em setembro de coleta ilegal de votos, em um caso que foi encerrado.

Na maioria das publicações no Facebook (1, 2, 3), a imagem viralizada é acompanhada pelo texto: “Dallas Jones, chefe de campanha de Joe Biden, foi preso hoje no Texas”.

Outras, acrescentam mais detalhes: “Chefe de campanha do candidato esquerdista à presidência dos E.U.A, Joe Biden, Dallas Jones, foi preso por fraude eleitoral. Acusado de colher milhares de votos e votar sob nomes de sem-teto, idosos e mortos”

Captura de tela feita em 23 de novembro de 2020 de uma publicação no Facebook

A imagem também foi amplamente compartilhada no Instagram e Twitter, onde um usuário garante que “vão prender muita gente ainda”.

A informação sobre Dallas Jones, às vezes acompanhada da mesma fotografia, também circulou em inglês e espanhol.

Não é Dallas Jones, mas o ator Cuba Gooding Jr.

Uma busca reversa pela imagem levou a informações sobre a prisão do ator norte-americano Cuba Gooding Jr. por conduta sexual inapropriada em 2019. O site de notícias sobre celebridades e entretenimento TMZ publicou em 13 de junho do ano passado este artigo sobre o ocorrido, que inclui um vídeo (o terceiro da página) que mostra a mesma cena da foto viralizada. 

Captura de tela feita em 20 de novembro de 2020 de vídeo publicado no site TMZ

Neste vídeo da agência Associated Press é possível ver outro ângulo da prisão de Cuba Gooding Jr..

O ator, ganhador de um Oscar em 1997 por seu papel no filme “Jerry Maguire”, foi acusado de tocar os seios de uma mulher no bar de um hotel em Manhattan em 9 de junho de 2019. Gooding Jr. foi indiciado por seis acusações de agressão sexual por essa e outras duas denúncias semelhantes, das quais se declarou inocente. O intérprete aguarda a data de julgamento por estas acusações, que foram somadas posteriormente a um processo por estupro.

Acusações de fraude

As publicações sobre Dallas Jones com a imagem de Gooding Jr. começaram a circular no momento em que usuários denunciam uma suposta fraude do democrata Joe Biden na eleição presidencial dos Estados Unidos, realizada no último dia 3 de novembro, repetindo uma retórica empregada pelo republicano Donald Trump, candidato à reeleição.

A vitória de Biden no pleito norte-americano foi anunciada com base nas projeções dos meios de comunicação locais em 7 de novembro e, embora seus partidários tenham começado a celebrar, os eleitores de Trump continuaram a denunciar uma suposta fraude eleitoral.

Até este dia 23 de novembro, Trump não reconheceu sua derrota para o democrata Joe Biden que, por sua vez, criticou a “irresponsabilidade” do atual presidente.

Dallas Jones, diretor no Texas

Dallas Jones, um empresário de Houston (Texas), foi selecionado em setembro como diretor político da campanha de Biden no estado norte-americano.

No mesmo mês, os republicanos do condado de Harris - onde fica Houston - apresentaram um pedido para impedir que um secretário do condado ampliasse o prazo e os locais de votação antecipada para as eleições presidenciais.

A petição, que foi rejeitada, incluía duas declarações juramentadas, uma de um ex-oficial da polícia de Houston e outra de um ex-investigador do FBI, que acusavam quatro pessoas, entre elas Dallas Jones, de participar de uma coleta ilegal de votos no condado.

Até a publicação deste artigo, Jones não respondeu a um pedido de comentário da equipe de checagem da AFP, mas disse ao The New York Times em 17 de novembro que a detenção mencionada nas redes não ocorreu: “não fui preso”. “São afirmações fabricadas, sem base”, acrescentou.

A porta-voz do Departamento de Polícia de Houston, Jodi Silva, confirmou à AFP por telefone que Jones não foi detido e que não havia acusações contra ele.

Os registros do condado de Harris tampouco mostram detenções ou acusações contra Jones.

Elizabeth Lewis, porta-voz da Secretaria do Condado de Harris, afirmou que a  suposta detenção por fraude eleitoral de Jones era uma afirmação “sem fundamento”. Em e-mail à equipe de checagem da AFP, afirmou: “não há preocupação sobre a integridade desta eleição”.

O advogado Douglas Ray, que representou os réus, disse em e-mail à AFP: “não tenho conhecimento de que alguém tenha sido preso ou de que haja uma investigação para além dos auto designados ‘investigadores’, cujas declarações juramentadas foram acrescentadas a este pedido de liminar (que foi indeferido)”. “No que me diz respeito, essas alegações são fantasias”, escreveu.

O AFP Checamos já verificou diversas publicações viralizadas que denunciavam supostos casos de votos descartados, abandonados, ou queimados, assim como denúncias de manipulação durante a contagem dos votos na eleição norte-americana.

Em resumo, a afirmação de que o chefe de campanha de Joe Biden, Dallas Jones, foi preso contém várias falsidades e imprecisões: Dallas Jones foi contratado para dirigir a campanha do democrata no Texas, não a nível nacional. Além disso, Jones não foi preso, mas acusado por republicanos de coleta ilegal de votos, em um caso que foi encerrado. Por fim, a foto que circula com a afirmação não é de Jones, mas do ator Cuba Gooding Jr., por conduta sexual inapropriada.

Tradução e adaptação
AFP Brasil
Eleições EUA 2020