Aumento repentino de votos pró-Biden em Michigan foi um erro humano depois corrigido

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Dois mapas em que se vê um aumento repentino de mais de 130 mil votos a favor do candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, em Michigan foram compartilhados mais de 5 mil vezes em redes sociais desde 4 de novembro, assegurando que se trata de uma evidência de fraude na eleição. No entanto, o aumento foi causado por um erro humano, quando um zero foi acrescentado acidentalmente enquanto os votos eram apurados. O erro foi corrigido rapidamente.

“Se isto não é fraude, eu não sei o que é. Do nada, foram computados 138.000 votos SOMENTE para Biden em Michigan, onde Trump vencia com boa margem. Deste lote de votos, nenhumzinho foi para qualquer outro candidato. Isso é impossível. Trump TEM DE judicializar Michigan”, escreveu um usuário no Twitter ao publicar duas tabelas com a contagem de votos do estado de Michigan.

“Joe Biden teve 138 mil votos consecutivos em Michigan. Nem Nicolas Maduro foi tão ousado na manipulação!”, diz outra publicação, na mesma rede social. A alegação também circulou amplamente no Facebook (1, 2, 3) e Instagram (1, 2, 3), assim como em postagens em inglês e espanhol.

Captura de tela feita em 5 de novembro de 2020 de uma publicação no Twitter

Como a informação viralizou?

A primeira postagem, localizada pela AFP, que fazia referência a uma tentativa de fraude por parte do Partido Democrata, foi um tuíte publicado por um comentarista político do Texas na manhã de 4 de novembro.

“Uma atualização dá a Biden 100% dos novos votos - 128k+”, diz o tuíte. Junto ao texto, dois mapas eleitorais mostravam que a apuração em Michigan parecia dar ao ex-vice-presidente 138.339 votos e nenhum a seu adversário, o presidente Donald Trump. 

Captura de tela feita em 4 de novembro de 2020 de uma publicação no Twitter

O tuíte foi posteriormente deletado com um pedido de desculpas, mas a imagem dos mapas continuou a ser compartilhada nas redes sociais e, inclusive, em um artigo, que sinalizava uma discrepância de 138.339 em Michigan. A maioria das publicações utiliza os números como prova de fraude por parte dos democratas no estado do Centro-Oeste norte-americano.

Um erro humano

Sobre o aumento repentino nos números de Biden, Caroline Wilson, secretária do condado de Shiawassee, no centro de Michigan, disse à AFP: “acrescentei um zero a mais acidentalmente”, informando assim 153.710 votos a favor do democrata, ao invés de 15.371.

“No momento em que o erro foi descoberto, ele foi corrigido, provavelmente dentro dos 20 minutos [seguintes], por isso me surpreende a rapidez com que isso se espalhou”, acrescentou Wilson.

O estado de Michigan alertou o condado sobre o erro “porque eles sequer tem tantos eleitores”. De fato, Shiawassee conta com 55.612 eleitores registrados.

Quando os 153.710 votos em Biden foram corrigidos para 15.371, foram eliminados 138.339 votos da conta total do democrata sem nenhuma mudança nos números de Trump.

“A informação do gráfico é completamente falsa”, disse à AFP a porta-voz do Departamento do Estado de Michigan, Tracy Wimmer, em um e-mail sobre os mapas viralizados nas redes.

Os mapas

O primeiro tuíte a difundir essa informação era ilustrado com capturas de tela do mapa interativo de resultados do serviço de análise de dados eleitorais Decision Desk HQ(DDHQ).

As duas capturas foram feitas em momentos diferentes nas primeiras horas do último dia 4 de novembro.

Às 4h59 locais, o DDHQ divulgou resultados para Michigan que indicavam 153.710 votos para Biden no condado de Shiawassee, o que levou o usuário do Twitter @ENGOLD a sinalizar o erro.

Captura de tela feita em 4 de novembro de 2020 de uma publicação no Twitter

Posteriormente, o DDHQ reconheceu a falha, classificando-a como um “erro administrativo” dos dados do condado de Shiawassee e atualizou os resultados de seu site para refletir as mudanças, o que deu a Trump uma vitória no condado com 23.154 votos.

Captura de tela feita em 4 de novembro de 2020 do mapa de resultados do Decision Desk HQ após a correção dos dados

Em 5 de novembro, Trump acusou os democratas de estarem tentando “roubar a eleição”, denunciando uma suposta fraude eleitoral.

Em resumo, é falso que os gráficos viralizados provem que houve uma fraude a favor do candidato democrata Joe Biden durante a contagem de votos no estado de Michigan. O aumento repentino de mais de 130.000 votos foi provocado por um erro humano durante o preenchimento dos dados, mas que foi rapidamente corrigido.

Tradução e adaptação
AFP Brasil
Eleições EUA 2020