Foto de políticos aglomerados é de 2016 e homem com equipamento de proteção é Putin em Moscou

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas milhares de vezes em redes sociais contrapõe duas imagens dissonantes: uma de um homem com extenso equipamento de proteção pessoal e outra de políticos aglomerados em cima de um carro, sem máscaras. De acordo com usuários, estas fotos retratariam a situação do Brasil em março e outubro deste ano. No entanto, a primeira foto é do presidente russo, Vladimir Putin, e a segunda foi tirada durante a campanha para as eleições municipais de 2016.

“Na hora de fazer Campanha Política eles se esquecem do Covid-19?”, escreveu um usuário ao publicar a comparação, compartilhada mais de 13 mil vezes no Facebook (1, 2, 3) desde 8 de outubro deste ano por usuários brasileiros. “Onde foi parar o fique em casa”, questionou outro.

Desde 27 de setembro, o Brasil está em período de campanha eleitoral para escolher prefeitos e vereadores. O pleito, normalmente realizado em outubro, foi adiado em junho para o dia 15 de novembro, com o possível segundo turno previsto para o dia 29, devido à pandemia de covid-19. 

Captura de tela feita em 13 de outubro de 2020 de uma publicação no Facebook

Uma busca reversa pela primeira imagem, de um homem com equipamento de proteção pessoal, confirma que ela data do último mês de março. No entanto, a foto não foi tirada no Brasil.

O clique, feito pelo fotógrafo Alexey Druzhinin para a agência Sputnik, mostra o presidente da Rússia, Vladimir Putin, visitando um hospital onde estavam sendo tratados pacientes de covid-19 em Moscou.

No banco de imagens da agência russa, estão disponíveis outras fotos (1, 2) do presidente vestindo o mesmo equipamento de proteção. No fundo da imagem, é possível identificar um cartaz com dizeres no alfabeto cirílico, utilizado na Rússia. 

Captura de tela feita em 14 de outubro de 2020 do banco de imagens da Sputnik


Já a imagem que supostamente teria sido feita durante a atual campanha eleitoral brasileira circula há mais de quatro anos.

A foto foi localizada pelo AFP Checamos em múltiplos artigos (1, 2) sobre a realização de uma carreata, em 24 de setembro de 2016, pelo então candidato à Prefeitura de Goiânia pelo MDB Iris Rezende.

Segundo as matérias, a foto mostra Rezende, junto a seu então candidato à vice-prefeito, Major Araújo, na região sudoeste de Goiânia.

De fato, uma foto praticamente idêntica à compartilhada nas redes foi publicada por Araújo em sua conta no Facebook em 24 de setembro daquele ano.

Comparação feita em 13 de outubro de 2020 entre imagem publicada na conta do Major Araújo (esquerda) e foto viralizada no Facebook

Rezende, que saiu vitorioso do pleito em 2016, não está disputando a eleição este ano.

Já Araújo atualmente concorre à Prefeitura da cidade. Outras imagens (1, 2, 3) compartilhadas em seu Facebook mostram que o candidato tem utilizado máscaras em eventos semelhantes ao visto na foto viralizada.

Eleições de 2020

Para minimizar os riscos de transmissão da covid-19 durante as eleições municipais de 2020, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) emitiu diversas recomendações, entre elas, a realização de reuniões e eventos preferencialmente por meio virtual.

Em caso de reuniões presenciais, o órgão orienta que seja calculado o número de pessoas presentes de acordo com a capacidade da sala, para que seja possível manter o distanciamento mínimo de 1 metro entre as pessoas.

O TSE também recomenda o uso correto de máscaras por todos os participantes durante os eventos de campanha. A utilização deste dispositivo de proteção individual em espaços públicos ainda é obrigatória em todo o território nacional.

A equipe de checagem da AFP já verificou outras alegações referentes às eleições municipais (1, 2, 3).

Em resumo, é falso que as imagens compartilhadas nas redes mostrem a situação do Brasil em março e outubro deste ano. A imagem de um homem com equipamento de proteção individual mostra o presidente russo em Moscou. Já a foto de uma carreata foi feita em Goiânia, mas em setembro de 2016.

AFP Brasil
Eleições 2020 CORONAVÍRUS