É montagem a "notícia" do g1 sobre prêmio de R$ 1 milhão por sentenças que inocentam Lula

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

O portal g1 não reportou que empresários darão um prêmio de R$ 1 milhão a quem achar sentenças que inocentam o candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Uma captura de tela da suposta reportagem somou mais de 8.000 compartilhamentos nas redes sociais desde ao menos 12 de outubro. No entanto, a imagem traz sinais de manipulação e o conteúdo não consta no site de notícias, que informou não ter publicado o texto com o título viral.

"Empresários oferecem R$ 1.000.000 para quem citar números das sentenças que inocentam Lula", diz o título da suposta notícia, cuja captura de tela circula no Facebook e no Twitter.

Abaixo da manchete, lê-se: "Grupo de empresários do agronegócio oferece prêmio de R$ 1.000.000 para quem apresentar número, data e UF das sentenças que supostamente inocenta Lula dos 26 processos que responde na justiça, o prêmio está disponível desde setembro de 2022 mas ainda não apareceu ninguém para retirar o prêmio".

Captura de tela feita em 18 de outubro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

A suposta notícia circula a algumas semanas do segundo turno das eleições, em um cenário no qual Lula aparece à frente nas pesquisas.

Ao longo de sua campanha, o político do PT tem afirmado que foi inocentado de suas sentenças pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pela ONU. O argumento foi verificado pelo AFP Checamos.

Uma busca pelos termos “empresários”, "R$ 1.000.000", "sentenças" e "Lula" no site do g1 não levou a qualquer notícia com o título que aparece nas imagens virais.

É possível constatar que a captura de tela viralizada tem elementos que indicam manipulação: na tarja vermelha com o nome da editoria de “Política”, por exemplo, falta o ícone do logotipo do site. O termo "Política" não aparece abaixo do título, como é visto na imagem viral.

Além disso, o nome da jornalista que assina a suposta matéria, “Joana da Silva”, tampouco consta na lista de pessoas que integram a equipe de jornalismo do portal.

Comparação feita em 18 de outubro de 2022 entre uma notícia publicada pelo g1 (esquerda) e a captura de tela de uma publicação no Twitter ( .)

O g1 também publicou uma nota na qual afirma que "a imagem é uma montagem fraudenta" e que os "erros no padrão de construção do título e gramaticais no texto denunciam a farsa".

Uma busca no Google pela frase "Empresários oferecem R$ 1.000.000 para quem citar números das sentenças que inocentam Lula" levou a artigos de outros sites (1, 2) sobre um empresário que teria feito a proposta.

No entanto, o vídeo em que o empresário se compromete a recompensar financeiramente aqueles que provarem a inocência de Lula foi publicado em 13 de outubro de 2022, um dia depois do início dos compartilhamentos da imagem viralizada atribuída ao g1.

O compartilhamento de notícias falsas tem sido uma estratégia de desinformação bastante utilizada durante a campanha eleitoral de 2022. O AFP Checamos já verificou algumas montagens relacionadas ao g1 (1, 2, 3).

Eleições 2022