É uma montagem o tuíte em que Lula diz que confiscará poupanças para manter o Auxílio Brasil

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

O candidato à Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, não publicou um tuíte dizendo que, para manter o programa Auxílio Brasil caso eleito, precisará bloquear a poupança dos brasileiros por seis meses. Postagens com essa alegação somam centenas de compartilhamentos desde 17 de outubro de 2022, mas são embasadas em uma captura de tela com indícios de manipulação. Não há, ainda, qualquer registro da declaração nas redes sociais oficiais do candidato, ou em seu programa de governo.

Segundo as publicações compartilhadas no Facebook e TikTok, o ex-presidente Lula teria publicado, em 13 de outubro de 2022, a seguinte mensagem no Twitter: “Companheiros e companheiras. Nós vamos manter o Auxilio Brasil, mas para isso precisamos da sua contribuição. Meus amigos, durante apenas 6 meses de 2023 precisaremos bloquear as poupanças dos brasileiros. São apenas 6 meses. Confiem nesse metalúrgico aqui”.

O suposto tuíte também foi encaminhado ao WhatsApp do AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar conteúdos vistos em redes sociais, se duvidarem de sua veracidade.

Captura de tela feita em 18 de outubro de 2022 de uma publicação no TikTok ( .)

O Auxílio Brasil é um programa de assistência financeira para famílias de baixa renda que entrou em vigor em dezembro de 2021 substituindo o “Bolsa Família”, criado pelo governo petista em 2003. A manutenção do programa no governo que assumirá em 2023 tem sido amplamente abordada nas campanhas dos dois candidatos à Presidência.

Mas uma busca na conta oficial de Lula no Twitter mostra que não há nenhuma publicação com o texto viralizado. O suposto tuíte também não aparece nos sites Wayback Machine ou Archive.is, que salvam versões de páginas da internet e podem registrar postagens antigas já deletadas.

No dia citado na captura de tela, Lula fez, ao todo, 35 tuítes e nenhum deles citava confisco de bens.

Além disso, elementos indicam que a captura de tela viralizada é uma montagem.

Para as eleições gerais de 2022, o Twitter sinalizou com etiquetas as contas de candidatos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após o fechamento da lista oficial. Segundo a plataforma, elas “não são opcionais e não podem ser removidas”. A retirada da mesma deverá ocorrer “alguns dias depois do último turno da eleição”.

A identificação foi introduzida antes do primeiro turno, realizado em 2 de outubro de 2022, nos perfis de quem concorreu aos cargos de presidente, governador, senador e deputado federal.

Todas as postagens feitas no dia 13 de outubro de 2022 por Lula aparecem com a tarja indicando que se trata do perfil oficial de um candidato à Presidência da República.

Comparação feita em 19 de outubro de 2022 entre uma publicação no Facebook (E) e um tuíte de Lula em sua conta oficial ( .)

Contactado pela AFP, o departamento de comunicação do Twitter confirmou que a tarja deve aparecer ao visualizar os tuítes dos candidatos em qualquer dispositivo.

Os tuítes feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) também contêm a sinalização.

Outro indício de montagem é que, em algumas publicações virais, a captura de tela inclui a suposta resposta de uma usuária de nome “VilmaTrabalhadora”: “Mas o que é isso? Você vai tomar o meu dinheiro? Deixando de votar em 3,2,1…”. Contudo, uma busca por esse usuário na plataforma mostra que a conta em questão não existe.

A única vez que o candidato Lula usou a palavra “poupança” em um tuíte foi em outubro de 2018, quando comparou Jair Bolsonaro (na época filiado ao PSL) com o ex-presidente, e atual senador, Fernando Collor, que efetivamente confiscou a poupança de todos os brasileiros. Nenhuma menção ao termo “poupança” foi encontrada no perfil de Lula no Facebook.

Nas diretrizes do programa de governo divulgadas no site do TSE da chapa Lula e Geraldo Alckmin (PSB) também não existem propostas sobre bloqueio de reservas para subsidiar o programa Auxílio Brasil.

20 de outubro de 2022 Corrige a acentuação na palavra "auxílio" no título e no último parágrafo
Eleições 2022