Vídeo de um “morto” se levantando mostra um protesto, não vítimas civis na Ucrânia

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Um vídeo de uma transmissão de televisão ao vivo, no qual um “morto” coberto por uma lona preta é supostamente visto se levantando, foi compartilhado centenas de vezes desde, pelo menos, 8 de março de 2022. Usuários afirmam que se trata de uma falsa vítima civil da invasão russa na Ucrânia, que começou no último 24 de fevereiro. No entanto, a gravação corresponde a um protesto ambiental que ocorreu no início daquele mês na Áustria. O que se vê nas imagens são ativistas representando mortes pelas mudanças climáticas e poluição do ar.

“Imagens chocantes da guerra na Ucrânia, só esqueceram de avisar pros figurantes que morto não ‘deve’ se mexer”, diz uma das publicações no Twitter. O vídeo também foi compartilhado no Facebook.

Nas imagens, um repórter é visto em primeiro plano durante uma transmissão televisiva e, atrás dele, dezenas de supostos cadáveres cobertos por sacos pretos. Um deles se move tentando impedir que a bolsa seja levada pelo vento, e uma mulher se aproxima para ajudá-lo.

Captura de tela feita em 10 de março de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

Conteúdo semelhante também circulou nas redes sociais em espanhol, tailandês e chinês.

A Rússia invadiu a Ucrânia na madrugada de 24 de fevereiro de 2022 e, no mesmo dia, de acordo com a Presidência da Ucrânia, tomou o controle da usina de Chernobyl e soltou paraquedistas em um aeroporto militar próximo a Kiev. Esses fatos foram mencionados na narração, em inglês, ouvida no vídeo viral.

No rodapé da gravação, é possível ler, em tradução livre do inglês: “Ministério da Saúde da Ucrânia: 57 mortos, 169 feridos na Ucrânia conforme Rússia lança ataque”.

No entanto, a sequência viralizada não mostra as vítimas desse conflito.

Protesto climático

O mesmo vídeo havia circulado no início de fevereiro de 2022 com a alegação de que mostrava atores interpretando vítimas da covid-19 na Alemanha. Nessas publicações, verificadas pela AFP, a sequência viralizada mostrava um rodapé no qual se leem as palavras “Wien: Demo gegen Klimap”, cuja tradução do alemão é “Viena: Manifestação contra as mudanças climáticas”.

Além disso, o repórter diz, em alemão: “Decidiu-se implementar a Lei de Extensão de Energias Renováveis e a reforma tributária ecossocial. A Lei de Extensão de Energias Renováveis visa garantir a neutralidade climática até 2030”.

Ao pesquisar no Google por esse texto em alemão, o resultado levou ao canal no YouTube e ao site do meio de comunicação austríaco Oe24, nos quais aparece o vídeo com o trecho viralizado, publicado em 4 de fevereiro de 2022.

O protesto foi organizado nessa data pelo movimento ambientalista Fridays for Future contra a ausência de metas nacionais para a redução de gases de efeito estufa na Áustria.

No vídeo completo divulgado pelo meio de comunicação austríaco, com pouco mais de dois minutos de duração, vê-se que as pessoas no chão estão vivas e cobertas apenas com uma lona preta. O momento difundido nos vídeos virais corresponde ao minuto 1:24 da reportagem e mostra um dos participantes tentando segurar o plástico para que não voasse devido ao vento.

“Na sexta-feira [4 de fevereiro de 2022], 400 dias se passaram sem que a Áustria estabelecesse metas de redução de gases de efeito estufa, alertou a plataforma ‘Fridays for Future’, observando que isso foi desastroso porque a crise climática se intensificou a cada tonelada de CO2. A organização apresentou 49 ‘sacos para cadáveres climáticos’ em frente à Chancelaria Federal em Viena à tarde”, aponta o artigo do Oe24.

Verena Matlschweiger, porta-voz do movimento ambientalista na Áustria, disse à AFP, em 8 de fevereiro de 2022, que o protesto era “sobre a crise climática”.

“Os cadáveres devem ser um símbolo, não serem vistos como cadáveres reais”, explicou.

O Fridays for Future compartilhou fotos do protesto em suas redes sociais no dia seguinte ao ato, 5 de fevereiro de 2022.

“Durante a ação de hoje no Fridays for Future, os ativistas estavam ‘mortos’ em frente ao prédio da Chancelaria Federal. Eles simbolizam as pessoas que morrerão como resultado do fracasso da política climática austríaca”, explicou a organização também no Twitter, em 4 de fevereiro de 2022.

Conflito na Ucrânia