Vídeo mostra a prisão de torcedores de futebol na Romênia, não de passageiros sem máscara em Paris

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo em que uma tropa de choque remove pessoas à força de um metrô foi compartilhado mais de 5 mil vezes em redes sociais desde o início de novembro em postagens que asseguram que a cena aconteceu em Paris, contra passageiros que não utilizavam máscaras para prevenir a propagação da covid-19. No entanto, as imagens foram gravadas em Bucareste e mostram policiais prendendo torcedores de futebol antes de uma partida em 2 de outubro deste ano.

“Em Paris, pessoas sem máscara, sendo tiradas do metrô”, diz a legenda de uma das publicações que acompanha o vídeo no Facebook. Nas imagens, um grupo de policiais de choque entra em um metrô parado e remove violentamente alguns passageiros.

Outras versões (1, 2, 3) dão mais detalhes do que teria ocorrido: “aconteceu em Paris. Jovens entraram no metro sem máscaras e começaram a cuspir na cara dos outros que iam no metro. A polícia foi avisada e foi lá dialogar, pacificamente, com eles, os cuspidores [...] Creio que os cuspidores foram convencidos”.

As imagens também circularam em outros idiomas como espanhol, inglês e sérvio, assim como em postagens no YouTube

Captura de tela feita em 24 de novembro de 2020 de um vídeo publicado no Facebook

Todas as publicações replicam a alegação de que a ação policial era destinada a passageiros que não utilizavam máscaras para prevenir a propagação do novo coronavírus. Na França, é obrigatório o uso de máscaras em espaços fechados e, em alguns casos, também nas ruas.

Uma primeira análise do vídeo permitiu concluir, contudo, que os policiais não estavam falando francês. Além disso, não há qualquer sinalização neste idioma nem na estação, nem no trem, que tampouco possui as cores da RATP, a companhia de transporte público de Paris.

Uma busca reversa por fragmentos do vídeo usando a ferramenta InVID WeVerify demonstrou que a mesma sequência havia sido publicada por páginas romenas no Facebook como, por exemplo, a do partido Alternativa Dreaptă.

Esta postagem sinaliza que as imagens mostram policiais romenos prendendo torcedores de um time de futebol e cita o porta-voz da polícia de Bucareste, Georgian Enache, explicando detalhes do ocorrido.

Em uma segunda busca foi possível encontrar a declaração dada por Enache à imprensa em 2 de outubro, explicando o que estava acontecendo no vídeo: “os policiais removeram as pessoas violentas e as detiveram rapidamente. Como tínhamos a informação de que levavam armas brancas, queríamos uma intervenção rápida, severa e eficiente para proteger os demais passageiros”.

A gravação também foi publicada no Twitter pelo especialista em futebol romeno Emanuel Roşu, e no Facebook pelo jornalista esportivo Cristian Scutariu, assim como pelo sindicato do Europol. Também foi localizada uma versão mais longa do vídeo, que mostra mais contexto.

Jornalistas do escritório da AFP em Bucareste analisaram o vídeo e confirmaram que os policiais estavam se comunicando em romeno, gritando palavras de ordem como “opriti!” (pare), “iesiti afara” (saia), “hai, hai” (vamos), “jos” (abaixo), “culcat” (deitado) e “pune-le catuse” (algeme-os).

No último dia 2 de outubro, torcedores do CSA Steaua de Bucareste e do Dinamo de Bucareste brigaram antes de uma partida, vencida pelo primeiro. Segundo a polícia, “alguns torcedores tentaram brigar com outros” e os agentes detiveram um grupo do Steaua que “viajava em um metrô até a estação de Ştefan cel Mare, onde pretendiam se reunir (com outros torcedores) para se dirigir ao estádio e provocar incidentes”.

Alguns deles entraram no trem, onde a tropa de choque interveio e realizou prisões, como reportaram veículos locais (1, 2, 3).

“Especificamos que, ao bloqueá-los, foram evitadas as ações violentas que iriam ocorrer”, afirmou a polícia, que divulgou imagens das armas confiscadas.

Além disso, imagens e vídeos da estação de metrô Ştefan cel Mare publicados por usuários nas plataformas Google Maps e Foursquare coincidem com o trem, o chão e a placa amarela que aparecem no vídeo viralizado. O trem é um modelo da companhia Bombardier, como os utilizados na rede de metrô de Bucareste.

Comparação de capturas de tela do vídeo viralizado (esquerda), de uma foto da estação Ştefan cel Mare publicada no Google Maps, e da página da Bombardier, feitas em 3 de novembro de 2020

Outros vídeos do mesmo acontecimento circularam nas redes. A brutalidade das imagens provocou múltiplas críticas à violência policial.

Em resumo, as imagens de uma tropa de choque removendo passageiros de um metrô não foram gravadas em Paris, nem mostram uma ação contra pessoas que não usavam máscaras. O vídeo retrata uma intervenção policial contra um grupo de torcedores de futebol em Bucareste, na Romênia, no último dia 2 de outubro.

Tradução e adaptação
COVID-19