O curta animado que parece prever a pandemia tem elementos antigos, mas não é de 1930

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

Um curta-metragem de desenhos animados sobre “como assumir o controle do mundo” teve mais de 500 compartilhamentos desde julho de 2021 e foi reproduzido dezenas de milhares de vezes. A particularidade da peça é que, segundos os usuários, ela foi criada nos anos 1930 e previu a pandemia atual de coronavírus. Entretanto, vários estúdios de animação consultados questionaram essa antiguidade. A equipe de checagem da AFP não encontrou registros do curta anteriores a 2021, embora ele realmente tenha sido montado com elementos de desenhos animados da década de 1930.

“Em 1930, um desenho animado sugeria uma série de estratégias para os ditadores assumirem o controle do mundo. 91 anos depois, qualquer semelhança não será mera coincidência”, assinala a legenda de uma das publicações compartilhadas no Facebook (1, 2, 3), com o vídeo legendado em português, fazendo referência à situação da pandemia.

A sequência continua a ser compartilhada em 2022 e foi publicada por usuários no Twitter (1, 2), Instagram (1, 2), YouTube (1, 2) e em canais no Telegram (1, 2), onde somou mais de 40 mil visualizações.

Captura de tela feita em 9 de fevereiro de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

Alegações semelhantes também circularam em inglês, espanhol, russo, italiano e chinês.

Uma busca pelas palavras-chave vistas no vídeo - “early warning cartoon how to take over world” - mostrou como resultado mais antigo esta publicação feita em uma página em maio de 2021.

Este vídeo do YouTube analisa o curta viral e mostra como ele teria aproveitado partes de outros curtas-metragens da década de 1930 para a sua realização. Segundo o usuário, os curtas “When my ship comes in”, “Swing you sinners” e “Red hot mamma” serviram como base para a sequência analisada.

A equipe de checagem da AFP encontrou semelhanças entre o vídeo viralizado a partir de 2021 e os três curtas dos anos 1930 publicados em plataformas como YouTube e Daily Motion:

Comparação feita em 9 de fevereiro de 2022 entre as capturas de tela do curta “An early warning cartoon” (E) e do curta “When My Ship Comes In” ( . / )
Comparação feita em 9 de fevereiro de 2022 entre as capturas de tela do curta “An early warning cartoon” (E) e do curta “Swing You Sinners” ( . / )
Comparação feita em 9 de fevereiro de 2022 entre as capturas de tela do curta “An early warning cartoon” (E) e do curta “Red Hot Mamma” ( . / )

Estúdios de animação consideram o curta atual

“O curta ‘An Early Warning Cartoon’ não é dos anos 1930. Claramente é contemporâneo”, indicou um porta-voz do Estúdio Fénix, empresa de animação espanhola, em resposta a um questionamento da AFP. E acrescentou que o vídeo viralizado “reaproveita material de outros curtas-metragens animados como ‘Red Hot Mamma’, de 1934, um curta que tem como protagonista Betty Boop”.

A personagem Betty Boop, entre outros, foi criada pelo estúdio de animação norte-americano Fleischer, cuja porta-voz, Kristi Spencer, concordou com a empresa espanhola, em declaração à AFP: “Não, não acreditamos que isso tenha sido feito nos anos 1930. Inclusive, se alguém quisesse pegar essas imagens e criar um filme assim nos anos 1930, a tecnologia para fazê-lo não existia. Os ângulos e os filtros utilizados para criar a sensação de algo antigo não correspondem aos filmes daquele período”.

“O curta não está relacionado em absoluto com os Estúdios Fleischer. Quem quer que o tenha feito parece ter retirado e trocado imagens de vários curtas da Fleischer”, continuou a porta-voz, que negou qualquer relação dos estúdios norte-americanos com a sequência viral.

Segundo o Estúdio Phoenix, no curta viral há “material reaproveitado e manipulado” de várias fontes, e “diversos elementos animados por deformações de pós-produção que são claramente contemporâneas” devido às técnicas usadas.

Outro estúdio de animação espanhol, Alkimia, também destacou que “certas deformações de objetos, como o antigo rádio que dança (...) é indicativo de que pode ser algo feito hoje em dia”.

Captura de tela feita em 9 de fevereiro de 2022 de um vídeo publicado no YouTube ( . / )

Cruz Delgado Sánchez, doutor em Comunicação Audiovisual e professor de História do Cinema e da Animação na Escola Superior de Design, Inovação e Tecnologia (ESNE), em Madri, concordou com os estúdios consultados em resposta à equipe de checagem da AFP.

“Efetivamente se trata de uma recriação do que seria um curta-metragem de desenho animado dos anos 1930, feito a partir de imagens copiadas de diferentes ‘cartoons’ daquela época produzidos pelos Estúdios Fleischer e com Betty Boop como protagonista”, apontou.

A fonte que respondeu em nome dos Estúdios Alkimia explicou que às vezes há elementos ou personagens de uma animação que são reutilizados em diferentes projetos.

“Esse tipo de recriação não é novo. Em 2013, os Estúdios Disney fizeram um falso curta antigo, exemplificou Delgado Sánchez.

Mais pistas em duas palavras do curta

Dois artigos de verificação em inglês, datados de julho e dezembro de 2021, destacam como indício de que o curta-metragem não é da década de 1930 a palavra “weaponised”, usada nos intertítulos do filme e que aparece por volta dos 11 segundos: “Introduce a weaponised influenza”, traduzido para o português nas legendas como “introduza uma falsa gripe”.

O uso da palavra “weaponize” (“armar-se”, em português), no entanto, não foi registrado até a década de 1950, de acordo com o dicionário Merriam Webster, citado pelos verificadores nos textos em inglês.

Além disso, por volta de 1:35 do curta-metragem observa-se a grafia incorreta do intertítulo “And Euthaize The Old” (traduzido como “e para sacrificar o velho”). O verbo “Euthaize” está mal escrito, sendo “euthanize” a grafia correta.

COVID-19 VACINAS