O cotonete do PCR chega à nasofaringe para coletar amostras mais exatas quando há pouca carga viral

Publicado em 30/04/2021 às 19:34

Publicações compartilhadas centenas de vezes em redes sociais desde meados de 2020 questionam o tamanho da “vareta” utilizada para coletar amostras do novo coronavírus durante os testes PCR, “se apenas uma gota de saliva pode infectar um bairro inteiro”. Diversos especialistas consultados pela AFP explicaram que o cotonete usado para detectar o SARS-CoV-2 chega à nasofaringe já que as vias respiratórias são o principal canal de entrada do vírus, o que permite localizar amostras mais exatas quando o paciente possui pouca carga viral.