Não há evidências científicas que relacionem a covid-19 à radiação sem fio da tecnologia 5G

Atualizado em 25/07/2022 às 18:59

A suposta relação entre a tecnologia 5G e a covid-19 foi descartada por especialistas, diferentemente do que alegam publicações que circulam nas redes sociais desde 27 de junho de 2022. Baseadas em um estudo da biofísica norte-americana Beverly Rubik, elas afirmam que a covid-19 surgiu em Wuhan, na China, “logo após o 5G em toda a cidade ter ‘entrado em operação’” e que há uma correlação “estatisticamente significativa” entre a intensidade da radiação de radiofrequência e a mortalidade pelo SARS-CoV-2. Mas a pandemia chegou a lugares onde não foi implementada a tecnologia, que utiliza comprimentos de onda mais superficiais do que seus antecessores, como o 4G.