Cartaz contra a guerra com as cores da bandeira da Ucrânia é visto no distrito de Kreuzberg, em Berlim, em 27 de março de 2022 ( AFP / David Gannon)

Segundo Zelensky, compensação pela guerra vale para todos os afetados, não apenas para vacinados

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Publicações que somam 2,5 mil interações ao menos desde 17 de março de 2022 asseguram que o governo ucraniano exige uma comprovação de vacinação para conceder aos seus cidadãos uma compensação financeira pela guerra. Embora a plataforma utilizada para receber esse benefício tenha sido empregada em 2021 para dar um bônus a quem havia se imunizado contra a covid-19, isso foi interrompido em razão do conflito russo-ucraniano. O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, e o ministério a cargo dos pagamentos não vincularam a compensação pela guerra à imunização, e não há registros dessa suposta exigência.

“Zelensky anunciou que só quem tiver ‘esquema vacinal completo’ vai receber a ajuda do governo por causa da guerra”, assinalam publicações compartilhadas no Twitter (1, 2), Facebook (1, 2) e Instagram (1, 2).

Conteúdo semelhante também circulou em espanhol (1, 2).

Captura de tela feita em 1º de abril de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

Algumas postagens são acompanhadas pelo trecho de um vídeo de uma entrevista coletiva do primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmygal, difundida em 6 de março de 2022.

No pronunciamento, transmitido pelo canal oficial UATV English, Shmygal informa sobre um mecanismo desenvolvido pelo país para compensar financeiramente os afetados pela invasão russa à Ucrânia iniciada dias antes, em 24 de fevereiro.

Mas nessa gravação não há referências à obrigatoriedade de vacinação para receber o auxílio.

“Cada funcionário, cada empresário que perdeu seu trabalho durante a guerra, receberá 6.500 grívnias. O programa funcionará de forma semelhante aos pagamentos pela vacinação, ou seja, através do aplicativo Dii”, assinalou o primeiro-ministro aos dois minutos do vídeo, segundo a tradução simultânea da emissora.

Dias antes, o mecanismo já havia sido anunciado pelo presidente do país, Volodimir Zelensky: “Cada empregado, cada proprietário único, cada cidadão da Ucrânia, de quem a Rússia tirou a oportunidade de trabalhar, receberá 6.500 UAH (grívnia) sem nenhuma condição”, afirmou o mandatário, de acordo com a transcrição de seu discurso publicada em 3 de março de 2022 no site da Presidência da Ucrânia.

Essa bonificação equivale a 222 dólares, ou 1.042 reais, de acordo com o câmbio de 1º de abril de 2022.

Buscas na página do Parlamento ucraniano levaram à resolução n.º 199, publicada em 4 de março e assinada por Shmygal. O texto, no qual não há menções à vacinação, atualiza as condições de entrega do apoio financeiro por meio do programa “ePidtrymka” (eSuporte, em português).

Esse programa foi criado em 19 de dezembro de 2021 como uma forma de ajuda econômica em meio à pandemia de covid-19. Não obstante, a resolução estabelece que o programa original, de 1.000 UAH, ficará suspenso temporariamente. Isso também foi informado pelo aplicativo, em sua comunicação com usuários nas redes sociais.

Captura de tela feita em 1º de abril de 2022 da conta no Facebook do aplicativo Dii, traduzida para o português ( . / )

No site do governo ucraniano, entre as informações sobre a iniciativa estatal iniciada em 8 de março de 2022 e coordenada pelo Ministério da Transformação Digital, tampouco é dito que seja necessário estar imunizado para receber a ajuda.

O aplicativo

Em sua etapa anterior, o programa entregou 1.000 UAH (equivalente a 34 dólares) a todos os ucranianos maiores de 14 anos com esquema de vacinação completo. Os cidadãos tinham que baixar o aplicativo do governo Dii (Ação, em português), disponível em sistemas operacionais Android e iOS para ter acesso ao benefício.

Nas imagens feitas para a divulgação do aplicativo foram usadas capturas de tela de um celular no qual aparece um passaporte digital e a foto de uma mulher. A ilustração acompanha a afirmação de que, com o Dii, “os documentos digitais” ficam disponíveis no celular de seus usuários.

Essas capturas também ilustram algumas das publicações viralizadas. Mas as imagens não têm relação com a vacinação.

Captura de tela feita em 24 de março de 2022 de exemplos de passaportes digitais publicados no site do aplicativo Dii ( . / )

Através do mesmo aplicativo agora se deve pedir a compensação financeira pelo conflito que afeta o país, mesmo quem já tenha recebido o bônus de 1.000 UAH pela vacinação contra a covid-19. A informação foi detalhada no site do Ministério de Transformação Digital da Ucrânia em 8 de março de 2022.

O AFP Checamos também analisou o site e as páginas no Instagram, Facebook e Twitter do ministério. Desde 3 de março de 2022, quando Zelensky divulgou o benefício, até 1º de abril, não foram encontradas referências a uma obrigatoriedade de vacinação para receber a compensação pela guerra.

As versões arquivadas de seus sites (1, 2, 3, 4) tampouco mostraram registros da suposta condição.

Em 29 de março de 2022, a pasta fez uma publicação no Facebook alertando que o período para pedir a ajuda terminava em 31 de março e que mais de 3,3 milhões de ucranianos já haviam recebido o bônus.

No site, Instagram e Facebook do aplicativo Dii, assim como em suas versões arquivadas (1, 2, 3), o apoio financeiro pela guerra tampouco é vinculado à vacinação.

Em 31 de março, o Dii publicou as principais informações para obter o apoio, mas em nenhum momento mencionou a obrigatoriedade de vacinação.

COVID-19 Conflito na Ucrânia VACINAS