Papa Francisco cumprimenta fiéis no pátio de São Dâmaso no Vaticano, em 23 de junho de 2021 (Alberto Pizzoli / AFP)

Comparação entre papa e Bolsonaro sem máscara ignora estágio da pandemia nos dois países

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Após ser amplamente criticado por não usar máscara apesar da pandemia de covid-19, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou em sua conta no Twitter um vídeo de 23 de junho em que o papa Francisco também aparece sem a proteção em público. Logo depois, usuários passaram a denunciar uma suposta ausência de reações negativas à atitude do pontífice. As postagens ignoram, contudo, os diferentes contextos que separam a Itália, onde fica localizado o enclave do Vaticano, e o Brasil. Além disso, não é verdade que o papa não tenha sido criticado por não utilizar o equipamento de proteção.

O vídeo, em que o papa Francisco aperta as mãos e dá bênçãos a fiéis no pátio de São Dâmaso, no Vaticano, foi visualizado mais de meio milhão de vezes após ser publicado por Bolsonaro no Twitter em 23 de junho.

As imagens realmente foram feitas neste dia, como é possível confirmar ao assistir a gravação oficial da audiência publicada no canal do Vaticano no YouTube.

O presidente compartilhou o vídeo dois dias após ser questionado por uma repórter sobre o porquê de ter chegado sem máscara a uma cerimônia. Em resposta, Bolsonaro tirou novamente a proteção, mandou a jornalista calar a boca e disse: “Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida”. As duas atitudes foram amplamente criticadas.

Em postagens no Facebook (1, 2, 3), Twitter e Instagram, usuários exigiram a mesma reação ao comportamento do papa Francisco no vídeo: “O papa cumprimentando os fiéis sem máscara é genocida? Ou a narrativa só vale para o presidente Bolsonaro?”.

Assim como Bolsonaro, o papa Francisco desrespeitou a orientação vigente sobre o uso de máscaras em seu país. Os usuários ignoram, contudo, os diferentes estágios da pandemia de covid-19 nos dois locais.

Pouca circulação do vírus, vacinação avançada

Um enclave murado dentro de Roma, o Vaticano tem seguido as orientações de saúde da Itália, como explicou ao Checamos a equipe da AFP na capital italiana.

O país europeu, que já foi um dos mais afetados pela doença, enfrenta hoje uma situação muito mais branda, com a menor incidência do vírus desde outubro de 2020. Em 23 de junho, todas as regiões do país, com exceção de uma, eram classificadas como “zonas brancas”, ou seja, com pouca circulação do coronavírus.

Também no dia 23, foram registrados 951 novos casos e 30 mortes por covid-19 na Itália. Especificamente no Vaticano, não são confirmadas novas infecções desde novembro de 2020 e os visitantes devem cumprir uma série de medidas como respeitar o distanciamento social, usar máscaras e ter a temperatura aferida.

No Brasil, por sua vez, foi registrado o recorde de mais de 115 mil novos casos, além de 2.392 mortes em 23 de junho, segundo dados oficiais do Ministério da Saúde. 

Manifestantes protestam contra o governo Bolsonaro e sua gestão da pandemia de covid-19 em Manaus, em 19 de junho de 2021 (Michael Dantas / AFP)

Além disso, mais de 53% da população italiana já recebeu a primeira dose de uma das vacinas contra a covid-19. O percentual de habitantes totalmente vacinados é de 27,5%. No Brasil, 31,5% receberam a primeira dose e pouco mais de 11%, as duas necessárias para a imunização.

O próprio papa Francisco já está completamente vacinado contra a covid-19 desde fevereiro de 2021. O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, diz que não tomou nem a primeira dose, apesar de já poder se vacinar desde o último mês de abril.

O fato de uma pessoa estar vacinada não impede que ela se contagie ou transmita a covid-19, mas diminui a probabilidade e os sintomas da doença, especialmente quando grande parte da população local também já foi imunizada.

Frente à melhora da situação da pandemia na Itália, o ministro da Saúde, Roberto Speranza, anunciou que irá suspender a obrigatoriedade do uso de máscara ao ar livre a partir de 28 de junho, quando estima-se que todas as regiões do país serão classificadas como “zonas brancas”.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro chegou a pedir uma medida semelhante ao Ministério da Saúde neste mês de junho, mas o chefe da pasta deixou claro que a vacinação precisa avançar no país para que isso possa acontecer.

Críticas ao papa

Essa não é a primeira vez que o papa Francisco é visto em público sem máscara. No passado, a atitude do pontífice foi tema de diversas matérias internacionais (1, 2, 3), que destacaram que o líder religioso estava sendo alvo de críticas de católicos proeminentes. 

Homem fantasiado como homem-aranha dá um presente para o papa Francisco no pátio de São Dâmaso no Vaticano, em 23 de junho de 2021 ((Alberto Pizzoli / AFP))

As matérias sugerem que o papa poderia estar evitando usar a máscara por ter dificuldade para respirar, uma vez que teve parte de seu pulmão removido quando jovem. O Vaticano não respondeu, contudo, a pedidos de comentários das reportagens.

A equipe de checagem da AFP já verificou diversas outras alegações (1, 2, 3) sobre o uso de máscaras durante a pandemia de covid-19.

COVID-19