Motociata organizada por apoiadores de Bolsonaro não gerou 40 milhões de reais para São Paulo

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

“MOTOCIATA com Bolsonaro gera R$ 40 milhões em emprego e renda em SP”, é a frase que acompanha publicações compartilhadas mais de 19 mil vezes nas redes sociais desde o último dia 12 de junho. Este foi o título de um artigo segundo o qual os motociclistas participantes do evento no mesmo dia na capital paulista “movimentaram hotéis, restaurantes, comércios e serviços”. Mas o número de participantes no qual o site baseou sua estimativa é muito maior do que o registrado pelos órgãos responsáveis.

Algumas publicações, além de elogiarem o suposto feito estimulado pelo presidente Jair Bolsonaro, também criticaram o governador de São Paulo, João Doria, que “não fez em um ano” o que o chefe de Estado “fez em um dia”.

O conteúdo circulou amplamente no Facebook (1), no Instagram (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2, 3), sendo compartilhado, inclusive, por figuras políticas. O artigo usado como base foi publicado no site Hora Brasília no próprio dia 12 de junho acompanhado de registros da motociata.

Captura de tela feita em 19 de junho de 2021 de uma publicação no Instagram

No último dia 12 de junho, o presidente Jair Bolsonaro participou em São Paulo de um passeio com motocicletas, chamado de motociata, com milhares de apoiadores. No evento havia muitas bandeiras do Brasil e os presentes entoavam a frase “a nossa bandeira jamais será vermelha”.

Na seção de contato do site Hora Brasília, o Comprova, projeto do qual o AFP Checamos faz parte, foi direcionado à página “Canal Hugo Alves” no Facebook. Em conversa com o responsável pelo site, Hugo Alves, foi indicado que a estimativa de R$ 40 milhões gerados pela motociata foi feita em base ao dado de que “400 mil motos passaram pelo pedágio”.

O número de participantes, no entanto, é consideravelmente superior ao informado por duas agências estaduais.

Ao AFP Checamos, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) informou que foram registradas 6.216 passagens na praça do pedágio de Caieiras (sentido Sul), no quilômetro 36, e 6.661 passagens na praça do pedágio de Campo Limpo (sentido Norte), no quilômetro 39.

A agência indicou que os dados foram coletados através do sistema MIP (Monitoramento de Informações de Pedágio), que coleta e armazena informações de imagens e dados do tráfego e da arrecadação das praças de pedágio. A empresa detalhou que como as motocicletas não pagam tarifa nessa concessão, não há como fornecer um número definitivo. 

“Além disso, durante o evento, por muitas vezes, os motociclistas passaram juntos pelas cabines, o que dificulta ainda mais a detecção dos sensores de pista”, finalizou a ARTESP.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), por sua vez, havia estimado anteriormente em nota enviada ao Checamos que cerca de 12 mil motos teriam participado do ato a favor do presidente.

O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores durante motociata em São Paulo, em 12 de junho de 2021 (Miguel Schincariol / AFP)

O cálculo dos supostos R$ 40 milhões gerados pela motociata viralizado nas redes foi feito, segundo Alves, com base no consumo de cada participante do evento no comércio da cidade. “Entramos em contato com os comerciantes de São Paulo, aqueles que o [governador de São Paulo, João] Doria quebrou. […] Os comerciantes disseram que cada pessoa gastou ao menos 100 reais”, apontou.

A publicação diz que a presença de turistas teria movimentado o setor de alimentação. Além do número de participantes do evento já impossibilitar o cálculo, uma vez que há divergência entre as estimativas da ARTESP e da SSP, por exemplo, não é possível afirmar que todos os presentes consumiram em algum local ou quanto teria sido gasto.

Ao Comprova, Joaquim Pinheiro, da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP), afirmou que os donos de estabelecimentos próximos aos locais onde os manifestantes se concentraram não registraram movimento e faturamento relevantes.

“Ao contrário, pelo tumulto que estava e as dificuldades de se chegar até os restaurantes próximos, o faturamento caiu. No Dia dos Namorados [mesma data da motociata, 12 de junho], houve até reservas, mas alguns desistiram delas”, pontuou.

Procurada pelo AFP Checamos, a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomercioSP) informou não possuir dados ou levantamento sobre o evento em questão. 

O AFP Checamos verificou (1, 2, 3) outros conteúdos relacionados à motociata realizada por apoiadores de Bolsonaro.

Esse texto faz parte do Projeto Comprova. Participaram jornalistas do Estadão e da Rádio BandNews FM. O material foi adaptado pelo AFP Checamos.