O presidente Jair Bolsonaro não excluiu todas as fotos com hidroxicloroquina em suas redes

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas mais de 80 mil vezes desde 19 de janeiro de 2021 afirmam que o presidente Jair Bolsonaro apagou todas as suas fotos em que promove o uso de cloroquina como prevenção contra a covid-19. Essa alegação, entretanto, é falsa, já que registros como esses ainda podem ser vistos nas páginas do mandatário no Facebook, Instagram e Twitter até o dia 28 de janeiro de 2021. 

Após dizer que nunca promoveu o uso de cloroquina, nem fez propaganda do remédio, Bolsonaro excluiu todas as fotos com o medicamento do Instagram. Então nós vamos postar aqui só pra deixar salvo”, afirma uma das publicações no Facebook (1, 2) e no Twitter (1, 2).

A postagem também compartilha fotos do presidente segurando caixas do medicamento, que não tem eficácia comprovada para o tratamento de covid-19. Um artigo de conteúdo semelhante foi postado em sites (1, 2).

Captura de tela feita em 26 de janeiro de 2021 de uma publicação no Facebook

As publicações mencionam a cloroquina, mas, na verdade, as imagens compartilhadas mostram caixas de hidroxicloroquina.  

A cloroquina e a hidroxicloroquina são medicamentos de uso controlado e indicados no tratamento de algumas doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide, e de malária. Apesar de muitas vezes serem popularmente tratadas como se fossem a mesma substância, a hidroxicloroquina se diferencia da cloroquina pela composição e por seu uso trazer menos efeitos adversos. Essas medicações foram testadas para o tratamento de covid-19, mas sua eficácia nunca foi cientificamente comprovada

O AFP Checamos já publicou algumas verificações (1, 2) sobre o assunto.

Em uma busca realizada pelo AFP Checamos nas páginas de Bolsonaro, foi possível constatar a permanência de várias imagens do presidente com uma caixa de hidroxicloroquina do laboratório Apsen Farmacêutica, como a que aparece na foto da AFP. Em outras, ele aparece a embalagem do mesmo medicamento do laboratório EMS

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro discursa segurando uma caixa de hidroxicloroquina em Brasília, em 16 de setembro de 2020 (Sergio Lima / AFP )

No Instagram de Bolsonaro, há uma foto postada em 25 de julho de 2020 em que ele parece tomar café da manhã e segura a caixa do medicamento - também da Apsen - e com a outra mão faz o sinal do polegar para cima.

Essa foto é uma das compartilhadas nas publicações viralizadas, que mencionam de forma equivocada “cloroquina”, em vez da hidroxicloroquina que aparece nas imagens.

Captura de tela feita em 26 de janeiro de 2021 de uma publicação no Instagram

Na página, também podem ser vistos vídeos (1, 2, 3) do presidente com a mesma embalagem, assim como a foto de uma notícia de jornal que supostamente comprovaria a eficácia da cloroquina contra o novo coronavírus. 

Essa foto do jornal também permanece publicada no Facebook de Bolsonaro, onde é possível assistir outros vídeos (1, 2) do presidente defendendo o tratamento com a medicação, inclusive o que foi postado no dia em que ele testou positivo para covid-19

No Twitter do presidente há postagens semelhantes, como a foto viralizada em que Bolsonaro toma café da manhã e mais um vídeo em que promove o tratamento sem comprovação. 

Algumas publicações viralizadas também afirmam que Bolsonaro disse que “nunca promoveu o uso da cloroquina”, mas, em uma pesquisa no Google, o AFP Checamos não encontrou nenhuma declaração feita pelo presidente nesse sentido. 

Mesmo sem comprovação científica, Bolsonaro e o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump foram grandes defensores da medicação no enfrentamento do novo coronavírus. 

A informação sobre a suposta eliminação das imagens de Bolsonaro com cloroquina também foi checada pela agência Aos Fatos

Em resumo, é falsa a alegação de que Jair Bolsonaro tenha apagado de suas redes sociais registros promovendo o uso da hidoxicloroquina para tratar a covid-19. Em uma pesquisa em seus perfis, o AFP Checamos encontrou pelo menos dez fotos e vídeos com esse conteúdo que estava on-line até a data da publicação desta verificação.

AFP Brasil
CORONAVÍRUS