Gravação de reportagem sobre rotina de coveiros circula como se fosse enterro falso por covid-19

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo que, segundo seu narrador, mostra jornalistas simulando um enterro de uma pessoa falecida por covid-19 para enganar a audiência foi visualizado mais de 3 milhões de vezes em redes sociais desde o último dia 31 de março. Mas, na verdade, as imagens retratam a gravação de uma reportagem sobre o trabalho diário de coveiros.

A sequência, compartilhada no Facebook (1, 2, 3), YouTube (1, 2, 3) e Twitter - inclusive pela deputada federal Carla Zambelli - mostra uma pessoa com traje de proteção branco sendo filmada em frente a uma cova, na qual joga terra. As imagens também circulam amplamente em espanhol e árabe.

Segundos depois, o cinegrafista e sua equipe deixam o local, acompanhados da mesma pessoa com traje de proteção. “Equipe de TV é flagrada filmando falso enterro por Covid. [...] Enquanto uma equipe de TV simulava o enterro, um homem pegou seu celular e fez vários vídeos demonstrando a farsa”, escreveu um dos usuários que compartilhou a gravação.

Durante a sequência, escuta-se a voz de um homem que diz: “O cara tá todo de branco e não sujou nem a roupa pra cavar o buraco. [...] Moço, eu to filmando tudo, que na hora que eles botarem na televisão eu vou postar e falar que é mentira”.

Captura de tela feita em 9 de abril de 2021 de uma publicação no Facebook

Reportagem sobre coveiros

Uma busca reversa por fragmentos do vídeo usando a ferramenta InVID*WeVerify leva a artigos de sites de notícia (1, 2) sobre a gravação.

Nas notas, explica-se que a sequência viralizada mostra a gravação de uma reportagem do canal TV Vitória, vinculado ao veículo Folha Vitória, sobre a rotina diária de coveiros durante a pandemia de covid-19 no Espírito Santo.

Uma busca no site da Folha Vitória pela palavra-chave “enterro” leva a um artigo publicado em 1º de abril, com o título: “Mentira: vídeo com informações falsas envolve equipe da TV Vitória”.

No texto, a repórter Marla Bermudes explica: “Eu e o cinegrafista Wilian O'brien estávamos fazendo imagens para explicar o trabalho do coveiro e as atividades que eles exercem. A reportagem teve o objetivo de homenagear o trabalho desses profissionais e não de fingir que a coveira em questão estaria simulando a abertura de uma cova ou fingindo que estava enterrando alguém”.

“A cova estava aberta e não a pedido da nossa equipe. Esse já é um procedimento do cemitério. As imagens mostradas no momento exato que ela está jogando terra, eram imagens de apoio para ilustrar as atividades que ela exerce no dia a dia”, acrescentou.

Uma busca no Google pelas palavras-chave “coveiros” e “Folha Vitória” levou à reportagem publicada em 31 de março sobre as condições de trabalho daqueles que realizam enterros nos cemitérios do Espírito Santo.

Esta comparação entre o vídeo viralizado e a reportagem sobre os coveiros mostra semelhanças entre a camisa rosa, a calça jeans e a máscara branca usadas pela jornalista Marla Bermudes: 

Comparação de capturas de tela feitas em 9 de abril de 2021 de uma publicação no Facebook (esquerda) e da reportagem publicada na plataforma Vimeo

Em comunicado, a Rede Vitória, grupo de comunicação ao qual pertence a TV Vitória, explicou: “Para compor a reportagem, nossos repórteres registravam o passo a passo do trabalho [dos coveiros]. O vídeo gravado descontextualiza o momento, deturpa o fato e cria uma narrativa mentirosa”.

De acordo com a reportagem, as imagens foram gravadas no cemitério de Barra do Jucu, no município de Vila Velha.

Segundo o balanço geral da AFP, o Brasil registrava, em 9 de abril, mais de 13 milhões de casos confirmados de covid-19 e mais de 345 mil mortes.

Conteúdo semelhante a este também foi verificado pelos sites Aos Fatos, Agência Lupa e Fato ou Fake.

 
AFP MENA
Tradução e adaptação
AFP Brasil
Covid-19