O público levou, sim, bandeiras do Brasil à posse presidencial de Lula em 2003

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Uma fotografia que mostra Luiz Inácio Lula da Silva ao lado do seu vice-presidente eleito, José Alencar, subindo a rampa do Palácio do Planalto, foi compartilhada mais de 7 mil vezes nas redes sociais desde o início de 2019, questionando a suposta falta de bandeiras do Brasil na cerimônia de posse do primeiro mandato do líder do PT (2003-2011). Mas não é verdade que a bandeira verde e amarela não estivesse entre o público: em diferentes registros feitos durante a cerimônia é possível ver o símbolo do país.

“Tema de casa: Veja a foto da primeira posse presidencial de Lula e encontre uma bandeira do Brasil”, indica o texto que acompanha a imagem, compartilhada em publicações viralizadas no Facebook (1, 2) desde o início de 2019, quando Jair Bolsonaro (sem partido) assumiu o comando do país, e que continuam circulando este ano (1, 2).

A imagem, acompanhada de alegações similares, foi encontrada no Instagram (1, 2) e no Twitter (1, 2), onde muitos usuários também afirmam que a bandeira do Brasil “jamais será vermelha”, afirmação feita pelo próprio presidente Bolsonaro em sua cerimônia de posse, em 1º de janeiro de 2019. 

Há, ainda, os que indicam não haver sequer uma bandeira do país.

Captura de tela feita em 5 de abril de 2021 de uma publicação no Instagram

A fotografia viralizada nas redes foi divulgada no início de 2021 em uma postagem feita pelo perfil no Twitter e Facebook do Instituto Lula com o seguinte texto: “Há 18 anos, em 1º de janeiro de 2003, o Brasil se reencontrava na posse de Lula. Nunca antes na História do Brasil houve tão grande festa popular para saudar a posse de um presidente da República”.

Nas postagens há um link para o site Memorial da Democracia, onde é possível conferir o crédito da fotografia. No texto que acompanha a foto, há a seguinte frase: “Desde cedo uma multidão vestindo vermelho e segurando bandeiras com a estrela petista ocupou a Esplanada dos Ministérios para ver e, se possível, tocar Lula”.

De fato, é possível ver muitas bandeiras de partidos, como PT e PCdoB, assim como vestimentas da cor vermelha, mas não é verdade que nenhuma bandeira do Brasil tenha sido levada, embora a mesma não possa ser vista na imagem compartilhada nas redes em baixa qualidade.

Uma busca em banco de imagens de diversos meios de comunicação (1, 2) que fizeram a cobertura da posse do então presidente eleito Lula mostram que havia, sim, bandeiras brasileiras.

A imagem abaixo, registrada por um fotógrafo da AFP durante a cerimônia de posse, mostra apoiadores de Lula usando itens nas cores verde e amarela, e segurando uma bandeira do Brasil:

Milhares de apoiadores de Lula celebram a sua chegada em Brasília, em 1º de janeiro de 2003 (Vanderlei Almeida / AFP)

Em um vídeo da cobertura da posse presidencial de Lula publicado no YouTube há vários momentos em que se vê a bandeira do Brasil (1, 2, 3) levada por apoiadores ao local.

Os Dragões da Independência

Na imagem compartilhada nas redes pode-se observar alguns homens que ladeiam Lula e Alencar segurando bandeiras nas cores vermelho e branco, que são, por sua vez, membros do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas – Dragões da Independência.

Além de participarem de solenidades como a abertura do ano legislativo, de seis em seis meses é feita uma cerimônia de passagem da responsabilidade pela Guarda da Presidência da República entre o Batalhão da Guarda Presidencial e os Dragões da Independência.

Segundo a informação no site da Câmara dos Deputados, “os Dragões até hoje usam um fardamento típico do século 19, em branco e vermelho - as cores da antiga cavalaria portuguesa”.

Lula venceu as eleições de 2002 contra o candidato do PSDB, José Serra, depois de três tentativas de chegar à Presidência do Brasil (1989, 1994 e 1998), sendo esta, também, a primeira vez do Partido dos Trabalhadores (PT) no comando do país.

No pleito de 2006, Lula foi reeleito e permaneceu no cargo até o fim de 2010, quando sua afilhada política, Dilma Rousseff, venceu a eleição e foi declarada a primeira presidente mulher do Brasil.