A foto do ex-ministro da Saúde e do governador do Pará sem máscaras é anterior à COVID-19

Uma foto em que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta cumprimenta o governador do Pará, Helder Barbalho, ambos sem máscaras de proteção, circulou amplamente em redes sociais como se tivesse sido tirada durante uma reunião realizada no último dia 18 de maio para debater estratégias de combate ao novo coronavírus no estado. A foto é, contudo, de setembro de 2019 - meses antes da detecção da doença na China.

“A convite de Helder, Mandetta chega em Belém para reforçar a equipe estadual de combate à COVID-19”, diz o texto que acompanha a foto, em publicação compartilhada centenas de vezes no Facebook. Na legenda, o usuário chama atenção para o fato de os dois políticos estarem, supostamente, descumprindo as recomendações de prevenção em meio ao surto do novo coronavírus.

Captura de tela feita em 19 de maio de 2020 mostra publicação feita no Facebook

“Hipócrita agente [sic] pega assim. 1° Cadê a máscara?? 2° Cadê o distanciamento social? 4° E esse povo todo amontoado aí atrás? 3° Essa visita custou quanto pro meu bolso?”, escreveu.  

Alegações semelhantes aparecem em diversas outras postagens (1, 2, 3, 4), compartilhadas mais de 500 vezes desde 18 de maio, data em que Mandetta participou de uma reunião com o governador do Pará para discutir o avanço da COVID-19 no estado.

A imagem viralizada não retrata, contudo, este evento, ou qualquer outro realizado durante a pandemia do novo coronavírus.

Uma busca no Google por registros anteriores da foto mostra que ela foi publicada em 19 de setembro de 2019 no site da Agência Pará, veículo oficial do governo do estado, em uma matéria sobre a inauguração, naquela mesma data, do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), em Belém.

A imagem consta, ainda, no álbum de fotos da inauguração do hospital, também disponível no site da Agência Pará. Nesta versão, em maior qualidade, é possível identificar atrás de Mandetta e Barbalho uma placa com o nome da instituição recém finalizada e os dizeres: “Belém, setembro de 2019”

Captura de tela feita em 19 de maio de 2020 mostra foto original publicada em 19 de setembro de 2019 no site da Agência Pará

Naquele mês, a detecção do novo coronavírus sequer havia sido divulgada, o que aconteceu no final de 2019, na China. O primeiro caso da doença no Brasil foi registrado, por sua vez, em 26 de fevereiro de 2020.

Enquanto isso, imagens oficiais da reunião realizada entre Mandetta e Barbalho no último dia 18 de maio mostram que, ao contrário do que sugerem as publicações viralizadas, ambos utilizaram máscaras de proteção, medida recomendada pelo Ministério da Saúde para diminuir a propagação da COVID-19.

Captura de tela feita em 19 de maio de 2020 mostra foto de reunião do dia 18 de maio de 2020 publicada no site da Agência Pará

Ministro da Saúde durante os primeiros 15 meses do governo de Jair Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta foi demitido pelo presidente no último dia 16 de abril, por divergências sobre a política de combate à pandemia do novo coronavírus.

Para substituí-lo, Bolsonaro escolheu Nelson Teich, que renunciou ao cargo no último dia 15 de maio. Atualmente, o Ministério da Saúde permanece sob comando do ministro interino, o general Eduardo Pazuello.

Mencionado nas publicações viralizadas, o Pará de Helder Barbalho tem adotado medidas rígidas de isolamento social, como a implementação do lockdown em 17 municípios, com a previsão de cobrança de multas para aqueles que desrespeitarem o decreto. Barbalho tem se oposto, ainda, ao posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, favorável à retomada das atividades econômicas.

O Brasil é o país mais afetado pelo novo coronavírus na região, com cerca de 254 mil casos confirmados de contaminação e mais de 16.700 mortes, até 19 de maio.

Em resumo, é falso que a imagem em que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta cumprimenta o governador do Pará, Helder Barbalho, sem utilizar máscara de proteção, tenha sido tirada durante a crise do novo coronavírus. A foto foi feita em setembro de 2019, durante a inauguração de um hospital, quando Mandetta ainda chefiava o Ministério da Saúde.

AFP Brasil