Menino ucraniano não cruzou a fronteira com a Polônia sozinho, mas com sua família

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

Um vídeo que mostra uma criança chorando enquanto caminha foi compartilhado mais de 26.000 vezes nas redes sociais desde 6 de março de 2022. A sequência é acompanhada pela alegação de que trata-se de um menino ucraniano atravessando a fronteira para a Polônia “sozinho”, no contexto do conflito da invasão russa ao seu país. Mas isso é enganoso. A agência de notícias Reuters, que gravou a cena, confirmou à AFP que na segunda metade do vídeo o garoto aparece andando atrás de sua mãe. Além disso, a Guarda de Fronteira polonesa esclareceu que a criança estava “com sua família” quando foi para aquele país.

“Menino ucraniano chorando enquanto caminha sozinho fugindo da guerra de um ditador sanguinário. É o choro de uma criança inocente que é obrigada a fugir de sua própria pátria sozinho”, dizem publicações compartilhadas no Facebook.

As mensagens, que circulam também em inglês, espanhol, chinês e polonês, afirmam: “As imagens angustiantes foram feitas em Medyka, a passagem de fronteira entre a Polônia e a Ucrânia”.

A sequência viraliza ainda no Instagram e no Twitter, onde usuários asseguram que o menino atravessou a fronteira da Eslováquia sem acompanhantes.

Captura de tela feita em 29 de março de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

O conteúdo viralizou no contexto da invasão russa à Ucrânia, que teve início em 24 de fevereiro de 2022, com mais de 3,5 milhões de pessoas tendo fugido do país. Seis em cada 10 refugiados ucranianos cruzaram a fronteira para a Polônia.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mais da metade das crianças ucranianas tiveram que deixar suas casas para fugir do conflito.

No entanto, a alegação de que o menino atravessou a fronteira sozinho é enganosa.

Uma pesquisa por palavras-chave no Google levou ao mesmo vídeo, publicado em uma matéria no jornal taiwanês United Daily News em 8 de março de 2022.

“Um jornalista visitou a cidade fronteiriça de Medyka, no sudeste da Polônia, e gravou um menino que parece estar sozinho, andando e chorando”, indica o artigo em chinês.

“A boa notícia é que, de acordo com informações publicadas posteriormente pela guarda de fronteira polonesa, o menino não estava sozinho. Ele estava com sua família e agora está seguro na Polônia”, acrescenta o texto.

O jornal credita a gravação à agência Reuters, que disse à AFP: “O menino [que aparece] no início do vídeo não é um menor desacompanhado, sua mãe pode ser vista andando no grupo à frente dele na segunda cena [do vídeo]”. A segunda parte da gravação encontra-se a partir do segundo 00:19 da sequência.

Uma busca no Google com as palavras-chave “menino”, “ucraniano” e “fronteira”, em inglês, levou a um artigo publicado em 5 de março de 2022 pelo jornal britânico Daily Mail. O texto inclui um vídeo de três minutos e 11 segundos no qual se vê a mesma criança e entrevistas com refugiados.

O menino aparece andando atrás de sua mãe aos 19 segundos da gravação, conforme indicou a Reuters à AFP.

A Guarda de Fronteira polonesa esclareceu que o vídeo não mostra uma criança atravessando a fronteira “sozinha”.

“Gostaríamos de informar que, ao contrário da informação que infelizmente tem sido compartilhada na mídia, o menino ucraniano de quatro anos Valerij não atravessou a fronteira sozinho. Ele estava com sua família”, disse a instituição em um comunicado em polonês, postado em sua conta no Twitter em 8 de março de 2022.

Conflito ucraniano-russo