Vídeo de explosão na China em 2015 circula como se mostrasse um ataque russo à Ucrânia em 2022

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

A gravação de uma grande explosão em um entorno urbano no meio da noite foi visualizada mais de 73 mil vezes e compartilhada nas redes sociais desde 24 de fevereiro de 2022, com a alegação de que se trata de uma filmagem de um ataque aéreo russo sobre a Ucrânia. Mas a afirmação é falsa. A sequência é de 2015 e retrata o incêndio de um armazém de produtos químicos na cidade chinesa de Tianjin.

A gravação circulou no Facebook (1, 2), no Instagram (1) e no Twitter (1, 2) horas depois de a Rússia iniciar sua invasão à Ucrânia, com bombardeios por todo o país, incluindo na capital, Kiev. Também foram realizadas incursões terrestres em diversos pontos do território, causando as primeiras vítimas mortais.

A sequência - na qual é possível ver uma explosão seguida de um grande incêndio - também foi compartilhada em inglês e espanhol, com usuários alegando que as imagens mostrariam um ataque aéreo russo à planta de energia da cidade de Lugansk.

Captura de tela feita em 24 de fevereiro de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

Lugansk é uma das regiões separatistas do leste da Ucrânia cuja independência foi reconhecida pelo presidente russo, Vladimir Putin, em 21 de fevereiro de 2022.

A comunidade internacional condenou os ataques russos ao território ucraniano, assim como Kiev, que além disso rompeu relações com Moscou. Os esforços diplomáticos das potências ocidentais e a imposição de sanções contra a Rússia não foram suficientes para dissuadir Putin, que até o começo da agressão havia mobilizado entre 150.000 e 200.00 soldados ao longo das fronteiras ucranianas.

Uma explosão de 2015

Uma busca reversa pelos fragmentos do vídeo viralizado permitiu verificar que o material foi reproduzido por diversos meios de comunicação, como BBC, The Guardian e ABC News, vinculado às explosões em um armazém de produtos químicos na cidade chinesa de Tianjin na noite de 12 de agosto de 2015.

As reportagens da imprensa atribuem a gravação ao cidadão norte-americano Dan Van Duren, sobrevivente do incidente.

Captura de tela feita em 24 de fevereiro de 2022 de uma publicação de 13 de agosto de 2015 no site de NBC News ( . / )

A série de explosões gigantescas registradas em Tianjin se originaram em um armazém de produtos químicos na zona portuária da cidade, segundo as autoridades. Com o passar dos dias, o número de mortos subiu para 135 e a de hospitalizados chegou a 582.

Tradução e adaptação
Conflito na Ucrânia