Vídeo viralizado omite o tema abordado por Lula, que era a criação de uma frente ampla

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas mais de 76 mil vezes nas redes sociais citam uma frase do ex-presidente Lula sobre “não enganar o povo mais uma vez”, dita em uma entrevista concedida ao jornal El País no último dia 7 de outubro. Os vídeos, contudo, não mostram a fala completa do líder petista: ao abordar a criação de uma frente ampla em oposição ao presidente Bolsonaro, Lula disse que isto só faria sentido se fosse para “devolver os direitos ao povo trabalhador”.

“Lula afirma que ‘Não vai enganar o povo mais uma vez’. Ufa!” e “‘Eu já tenho idade demais, eu já vivi demais, eu já tenho experiência demais, e eu não vou enganar o povo mais uma vez’, assumiu Lula em entrevista ao El Pais. O cachaceiro não engana mais ninguém”, são algumas das legendas que acompanham vídeos e memes nas postagens compartilhadas milhares de vezes no Facebook (1, 2, 3) em menos de um dia.

A declaração do ex-presidente viralizou também no Instagram (1, 2, 3), Twitter (1, 2) e YouTube (1), alcançando milhares de interações em poucas horas.

No último dia 7 de outubro, o ex-presidente Lula (2003-2011) participou de uma entrevista por vídeo com o jornal El País, abordando temas como as eleições nos Estados Unidos e no Brasil, o tempo em que ficou preso e, entre outros, a criação de uma frente ampla contra o atual presidente, Jair Bolsonaro.

Mas uma frase dita pelo petista aos 66 minutos e 29 segundos chamou a atenção nas redes sociais: “eu já tenho idade demais, eu já vivi demais, eu já tenho experiência demais. E eu não vou enganar o povo mais uma vez”.

Depois que o ex-presidente mencionou a sua relação diplomática com líderes de diferentes países, a jornalista Flávia Marreiro questionou: “quando [você] fala na hora de fazer uma frente contra o Bolsonaro, essas asperezas não estão conseguindo ser retiradas na negociação. O que precisa para esse Lula diplomático voltar e conseguir fazer uma frente ampla contra o Bolsonaro, como em outros países foi possível fazer contra o que é considerado uma ameaça autoritária? Não está na hora de virar a página de algumas coisas?”.

A isso, Lula respondeu que o termo “frente ampla” havia ganhado uma conotação de solução “mágica” e que, para ele, só faria sentido tomar esta atitude se fosse para recuperar os direitos trabalhistas, fazer uma reforma tributária com o objetivo de aumentar os impostos para os mais ricos e “voltar a dar cidadania ao povo que é excluído desde o tempo da escravidão”.

Finalmente, o ex-presidente afirmou: “mas fazer um arranjo por cima, apenas para mudar a nomenclatura, sem dizer o que vai acontecer com o povo pobre... eu já tenho idade demais, eu já vivi demais, eu já tenho experiência demais. E eu não vou enganar o povo mais uma vez. Eu não vou enganar o povo. Só tem sentido fazer uma frente ampla se for para devolver ao povo trabalhador deste país os direitos que tiraram dele”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Geneva Press Club, em Genebra, em 6 de março de 2020

Em sua conta no Twitter, o ex-presidente retomou parte desta fala, reforçando que “tem idade demais” para “fazer arranjo por cima sem dizer o que vai acontecer com o povo pobre”, e que só faria isso para devolver os direitos aos trabalhadores.

Em 1º de junho, durante uma reunião extraordinária do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Lula já havia criticado os manifestos suprapartidários em oposição ao presidente Bolsonaro, indicando que pouco se falava da classe trabalhadora, e que não tem mais idade para ser ‘Maria vai com as outras’”.

Em resumo, o ex-presidente Lula, de fato, disse a frase “eu não vou enganar o povo mais uma vez”, contudo, ele fazia referência à criação de uma frente ampla cujo objetivo seria apenas uma mudança de nome, sem realizar reformas profundas no país. Os vídeos viralizados nas redes, por sua vez, omitiram o contexto de sua fala.

EDIT 09/10: adiciona metadados
AFP Brasil
Eleições 2020