Não, nem Messi nem CR7 contrataram aviões para combater os incêndios na Amazônia

Publicações compartilhadas em português nas redes sociais mais de 3 mil vezes desde 24 de agosto de 2019 asseguram que as estrelas do futebol Lionel Messi e Cristiano Ronaldo contrataram aviões-tanque para ajudar a combater os incêndios na Amazônia. No entanto, isto é falso: porta-vozes dos jogadores desmentiram as afirmações, que também circulam em outros idiomas.

Em 23 de agosto de 2019, uma página não oficial do atacante argentino Lionel Messi fez uma publicação no Facebook - em espanhol - assegurando que o astro contratou “5 aviões de até 70.000 litros de capacidade para apoiar o controle do incêndio que está destruindo grande parte da Amazônia”, em tradução livre.

Um dia depois, várias outras postagens no Facebook (1), em português e espanhol, faziam afirmações semelhantes, inclusive com elogios ao craque: “5 aviões de até 70.000 litros de capacidade para ajudar a acabar com o incêndio que tá destruindo grande parte da Amazônia. Parabéns pela atitude Messi, mais uma vez provando que tu é um ser humano incrível não só dentro como fora de campo também! [sic].

Captura de tela feita em 28 de agosto de 2019 mostra publicação no Facebook

No Twitter (1, 2, 3), a afirmação também viralizou. “Parabéns a Messi por ser esse GRANDE SER HUMANO. Ele contratou 5 aviões para ajudar a apagar o fogo na AMAZÔNIA. Esse sim, merece todas as homenagens. Parabéns Messi [sic], escreveu uma usuária.

Entretanto, ao ser contatado pela equipe de verificação da AFP, o porta-voz do jogador do FC Barcelona negou tais alegações: “Não havia visto nada até agora sobre esse assunto. Mas posso te confirmar que não é verdade, é falso”.

Algumas publicações viralizadas inclusive chegaram a assinalar como fonte a conta no Instagram de Messi. Contudo, o jogador não mencionou nada deste tipo em sua conta. Tampouco aparece qualquer informação sobre a questão em sua página oficial na Internet.

A Fundação Leo Messi, por sua vez, não fez nenhuma menção a respeito de uma doação ou contratação de aviões para combater os incêndios na Amazônia em suas contas oficiais no Twitter e Facebook, onde costuma informar das ações solidárias do astro argentino.

Portanto, não há registro público de que Messi tenha efetivamente contratado aviões para colaborar na luta contra os focos de incêndio na Floresta Amazônica.

Em geral, as publicações estão acompanhadas de diversas fotografias do jogador e imagens de aviões-tanque.

Após uma busca reversa por imagens no Google, descobriu-se que a primeira foto debaixo da de Messi corresponde a um avião-anfíbio de fabricação canadense e que circula ao menos desde 2003. A segunda foto é do fotógrafo Suvirov Aleksey e foi tirada na Ucrânia, em 2013, durante exercícios para extinguir incêndios florestais em Perevalnoye, na Crimeia.

A foto de um terceiro avião, vista nesta postagem em espanhol, corresponde a um Boeing 747-446 convertido em avião-tanque Supertanker e usado para combater os incêndios no Chile em 2017.

Cristiano Ronaldo também?

Com a viralização dos incêndios na Amazônia, a imagem do atacante da Juventus Cristiano Ronaldo também foi vinculada nas redes sociais, tanto em português (1) como em espanhol, a uma suposta contratação de aviões para combater as chamas.

Captura de tela feita em 28 de agosto de 2019 mostra publicação no Facebook

Consultados pela AFP sobre estas versões, porta-vozes do jogador português disseram que não estavam a par disto e não acreditavam que elas fossem corretas.

Neste caso tampouco há informações oficiais que confirmem o que viralizou nas redes sociais: nem na conta oficial do jogador no Instagram, nem na do Twitter, nem no site oficial do astro.

Entretanto, em 22 de agosto Cristiano Ronaldo publicou em suas contas no Instagram e Twitter mensagens sobre a Amazônia e os incêndios que estavam atingindo a floresta, usando a hashtag #PrayForAmazonia.

Não obstante, a equipe de verificação da AFP checou que o astro português usou para ilustrar a sua publicação sobre a Floresta Amazônica uma foto da reserva ecológica de Taim, no Rio Grande do Sul, que não faz parte da Amazônia.

O AFP Checamos também verificou outras publicações sobre imagens que não correspondem aos incêndios na Floresta Amazônica.

O Brasil registra mais de 82.000 focos de incêndio de janeiro a 26 de agosto deste ano, 51,9% do total da Floresta Amazônica, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). A cifra total representa um aumento de 80% em relação ao mesmo período de 2018.

Em resumo, nem Messi nem Cristiano Ronaldo contrataram aviões para ajudar a combater os incêndios na Amazônia.

Nadia Nasanovsky
Natalia Sanguino
AFP Brasil