Não há registro de que o presidente Biden tenha dito que a cloroquina é eficaz contra a covid-19

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Publicações que somam mais de 18 mil interações desde o último dia 24 de janeiro afirmam que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou que a cloroquina é eficaz contra a covid-19 e que, desde então, o tratamento precoce com esse medicamento é indicado. Não há, entretanto, qualquer registro de que Biden tenha feito essa afirmação. Além disso, os organismos de saúde e regulamentação do país seguem sem aconselhar a cloroquina para tratar a doença causada pelo coronavírus.

“Trump: Cloriquina é eficaz. Esquerda: Genocida! Bolsonaro: cloroquina é eficaz. Esquerda: Genocida! Biden: cloroquina é eficaz. Esquerda: ISSO É CIÊNCIA! TRATAMENTO PRECOCE, JÁ! Não é o que diz, e sim QUEM DIZ”, indica o texto compartilhado milhares de vezes no Facebook (1, 2, 3).

O conteúdo também circulou no Instagram (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2) reproduzindo a captura de tela de um tuíte ou apenas o seu texto, publicado pela primeira vez pelo usuário “@lacombeopressor” em 24 de janeiro. 

A conta em questão se descreve como um “perfil de apoio e sátiras ao Grande jornalista Luís Ernesto Lacombe”, que já disse ter afinidade com as ideias do presidente Jair Bolsonaro e chamou a Organização Mundial da Saúde (OMS) de quintal da China.

Captura de tela feita em 1º de fevereiro de 2021 de uma publicação no Twitter

Sem registro 

Mas uma busca no Google pelos termos em inglês “chloroquine + Joe Biden” não mostra nenhum resultado sobre uma declaração do atual presidente norte-americano  defendendo a eficácia deste remédio contra a covid-19.

Uma pesquisa nas contas de Biden no Twitter (1) e no Facebook (1), tanto em seu perfil pessoal como no da Presidência, também não localiza qualquer declaração a respeito da eficácia da cloroquina contra a doença causada pelo coronavírus.

Uma terceira busca, dessa vez no site da Casa Branca, tampouco mostra declarações ou discursos do presidente nesse sentido. Ao pesquisar pela palavra “chloroquine” aparece somente um informativo de imprensa da porta-voz Jen Psaki no qual o doutor Anthony Fauci menciona a hidroxicloroquina e o fato de sua indicação não ser baseada em fatos científicos.

O Checamos entrou em contato com a Casa Branca para obter um posicionamento sobre a alegação, mas não obteve retorno até a publicação desse artigo.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, no Memorial covid-19 em Washington, em 19 de janeiro de 2021 (Patrick T. Fallon / AFP)

Posicionamento das autoridades de saúde

A cloroquina e a hidroxicloroquina são medicamentos de uso controlado e indicados no tratamento de algumas doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide, e de malária. Apesar de muitas vezes serem popularmente tratadas como se fossem a mesma substância, a hidroxicloroquina se diferencia da cloroquina pela composição e por seu uso trazer menos efeitos adversos. Essas medicações foram testadas para o tratamento de covid-19, mas sua eficácia nunca foi cientificamente comprovada

Os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos indicam em seu site que os tratamentos ​​para covid-19 devem ser prescritos por um médico, já que algumas pessoas passaram mal ou faleceram após tomarem medicamentos não aprovados, ou produtos aprovados mas prescritos para outros usos.

Em março de 2020, os CDC publicaram um alerta de saúde sobre a cloroquina - e a hidroxicloroquina - desencorajando o seu uso contra a covid-19. Em janeiro de 2021 foi acrescentada no site uma pesquisa do mesmo mês mencionando os efeitos negativos do tratamento com cloroquina e hidroxicloroquina.

Os Institutos Nacionais de Saúde (NIH), por sua vez, deixam claro em seu portal que o Painel de Diretrizes de Tratamento da covid-19 não recomenda o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, com ou sem associação à azitromicina, para tratar pacientes hospitalizados ou não, excetuando em caso de estudos clínicos.

A Agência de Medicamentos e Alimentos (FDA) do país já havia revogado em junho de 2020 - e confirmado em julho, como mencionado em seu site - a autorização para uso de emergência da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes hospitalizados com covid-19 já que não foi comprovada a sua eficácia. Além disso, os eventos cardíacos graves e outros efeitos colaterais potencialmente preocupantes foram levados em consideração nessa decisão.

O ex-presidente Donald Trump foi um dos defensores do uso da hidroxicloroquina e da cloroquina no tratamento da covid-19, chegando a considerar o medicamento como um “presente do céu”.

Em maio de 2020, o então candidato democrata à Casa Branca Joe Biden criticou Trump, que disse na época estar tomando hidroxicloroquina: “Isso é absolutamente irresponsável. Não há nenhuma equipe médica séria dizendo para usar essa droga. É contraproducente. Não vai ajudar”.

Um conteúdo semelhante também foi checado pelas equipes do Aos Fatos e da Agência Lupa.

AFP Brasil
Covid-19