Não, esta fotografia não mostra uma aula em uma universidade federal

Uma publicação compartilhada 10 mil vezes desde que foi postada, no início de maio de 2019, afirma que esta imagem foi feita durante uma aula em uma universidade federal brasileira. Entretanto, a foto foi tirada em uma apresentação, não uma aula, no Simpósio Internacional de Educação Sexual, de participação voluntária, realizado em 2017 na Universidade Estadual de Maringá (PR), e cujo financiamento não é de responsabilidade do governo federal.

“Nem todos os universitários, assim como nem todos os políticos, são condenados aqui. O foco da postagem é questionar a finalidade das verbas”, diz a descrição da postagem.

Na seção de comentários foi possível encontrar alguns bastante críticos: “Que nojo, as faculdades públicas eram motivo de orgulho, hoje é [sic] de vergonha. Tem que cortar verbas mesmo”, “TEMOS MESMO DE PAGAR POR ISSO? Prefiro que o dinheiro público forme mais engenheiros, por exemplo”, e: “Não acho certo termos de pagar manifestações de fundo político e inócuas”.

Captura de tela feita em 19 de maio de 2019 mostra a postagem no Facebook

A equipe de checagem da AFP no Brasil localizou essa fotografia, que foi tirada durante um evento na Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, em abril de 2017, organizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Diversidade Sexual (Nudisex) da instituição.

Ocorrido entre os dias 26 e 28 de abril desse ano, a quinta edição do Simpósio Internacional de Educação Sexual (V SIES), cujo tema foi “Saberes/trans/versais, currículos identitários e pluralidades de gênero”, contou com conferências, mesas redondas, grupos temáticos para apresentação de trabalhos, oficinas e atividades artístico-culturais.

Essa imagem já havia sido alvo de polêmica em 2017. Na época, a UEM publicou uma nota se posicionando sobre o caso: “Uma encenação realizada na abertura do V SIES motivou uma série de comentários descontextualizados. Diante disso, diversas entidades assinam a presente nota, que tem por objetivo explicar para a sociedade o real contexto dos fatos”.

A fotografia foi feita durante a apresentação de “As pedras do meu sapato”, produção desenvolvida na disciplina de Fundamentos da Direção I do curso de Artes Cênicas da UEM. Segundo a descrição da exibição vista na nota, ela “retrata o surgimento do amor entre duas mulheres e as barreiras sociais pelas quais passam para concretizá-lo”.

Em 2017, as atrizes vistas na fotografia chegaram a ser atacadas e, por conta disso, a Oficina de Teatro da universidade também se posicionou, mas por meio de um vídeo, em resposta às ofensas.

Além disso, a publicação viralizada afirma que a imagem mostra uma “aula” em uma universidade federal, o que, na realidade, é um equívoco, já que a instituição é estadual. No próprio site do Ministério da Educação é possível encontrar a descrição da natureza administrativa dessa instituição, que é pública estadual.

Ou seja, a verba destinada à UEM provém do estado do Paraná, não do Governo Federal, como é se pode comprovar em seu estatuto.

Captura de tela feita em 19 de maio de 2019 do estatuto da UEM em seu site

No final de abril, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou um contingenciamento das verbas de instituições federais. Este corte foi feito sobre os gastos não-obrigatórios, algo em torno de 30%, o que representa 3,5% no orçamento total das federais.

Em suma, a fotografia não foi tirada durante uma aula em uma universidade federal, mas durante um simpósio na UEM, cuja participação é facultativa, e tinha um tema específico.

AFP Checamos já verificou outras afirmações (1, 2 e 3) a respeito de universidades brasileiras.

AFP Brasil