A foto mostra um edifício de apartamentos em construção em Minneapolis, não uma delegacia

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

A imagem de um edifício em chamas foi compartilhada milhares de vezes desde o fim de maio em publicações que afirmam que ela corresponde a uma delegacia de polícia em Minneapolis, nos Estados Unidos, que foi incendiada por manifestantes durante durante um protesto pela morte de George Floyd, um cidadão negro que estava sob custódia da polícia nessa cidade. Esse prédio, contudo, iria alojar apartamentos, e não era uma delegacia de polícia que foi incendiada naquela mesma noite.

“Assim o povo de Minnesota está repudiando o assassinato de George Floyd, homem negro, sufocado até a morte pelo joelhaço de um policial branco racista e psicopata. Aí é uma delegacia de Mineapolis [sic], afirma uma publicação, compartilhada mais de 4,9 mil vezes no Facebook desde o último dia 28 de maio, com a imagem de um edifício em chamas.

Publicações similares com a mesma imagem circularam amplamente, além de no Facebook (1, 2), no Instagram (1, 2, 3, 4), com mais de 28,8 mil curtidas, e no Twitter (1, 2, 3, 4), com mais de 3,6 mil retuítes e 21,7 mil curtidas.

Captura de tela feita em 1º de junho de 2020 de uma publicação no Instagram

A mesma fotografia circulou em espanhol (1, 2, 3), registrando 29 mil compartilhamentos em apenas uma postagem.

As legendas fazem referência a George Floyd, um homem negro de 46 anos que morreu no último dia 25 de maio em Minneapolis, no estado de Minnesota, enquanto era detido por policiais. A ação foi registrada em um vídeo que mostra como um dos agentes ficou ajoelhado sobre o pescoço de Floyd por mais de oito minutos.

A morte de Floyd gerou uma onda de protestos e distúrbios em todo o país. Milhares de soldados da Guarda Nacional foram mobilizados em 15 estados e em Washington D.C., e foi decretado toque de recolher em várias cidades, incluindo a capital, entre elas Houston e Los Angeles.

Uma busca reversa* pela imagem no Google levou a uma publicação no Reddit intitulada “Minneapolis. A manhã de 27 de maio de 2020. Foto por @SMK2”. Esta imagem, contudo, já foi retirada.

Nesta publicação, o autor explicou que ele mesmo apagou-a “porque, na realidade, havia sido tirada pela manhã do dia 28 de maio de 2020 (não de 27 de maio, como foi afirmado no título)”.

O usuário acrescentou que, “felizmente, este edifício de apartamentos estava em construção e não havia moradores vivendo nele”.

Ao realizar uma busca no Twitter pelas palavras em inglês “minneapolis apartment building” (“minneapolis edifício de apartamentos”, em português) foi possível localizar um tuíte com a mesma imagem que diz: “Wow. Incrível foto de um edifício de apartamentos em construção em chamas na noite anterior no sul de Minneapolis durante os protestos por #GeorgeFloyd”.

A mulher que fez a publicação atribuiu a imagem a um usuário chamado “@profnighthawk”.

Este usuário publicou a mesma foto no dia 28 de maio à 1h53 local, assegurando que a fotografia foi “registrada por SMK2” e editada por ele.

A equipe de checagem da AFP entrou em contato com o usuário via Twitter. “A foto foi tirada pelo fotógrafo SMK2 e foi editada por mim e publicada no meu Instagram”, assegurou.

A imagem mostra “um projeto de moradia acessível que estava em construção, e não uma delegacia de polícia”, explicou, acrescentando: “Editei a foto apenas usando o editor interno do Instagram, a foto foi tirada com um iPhone 10s”.

O usuário publicou no Twitter a conta do fotógrafo. Neste perfil pode-se observar outra imagem do mesmo local em chamas, mas de um ângulo diferente.

Uma busca pela frase “minneapolis apartment building” no Google levou a esta nota do jornal Star Tribune, que afirma que o edifício incendiado era uma construção em curso de seis andares, com 189 apartamentos, desenvolvida pela empresa de bens duráveis Wellington Management.

No artigo há uma fotografia muito semelhante à imagem viralizada, atribuída a Mark Vancleave, fotógrafo do jornal, que também compartilhou-a no Twitter.

Por telefone, o vice-presidente da Wellington Management, David Wellington, confirmou à AFP que o edifício em chamas fazia parte da terceira etapa do projeto Minnehaha Crossing, localizado na Avenida 26, na zona sul do centro de Minneapolis.

Wellington acrescentou que o edifício estava 40% pronto e que “nas próximas duas semanas seria instalado um sistema de extintores contra incêndio”. O resultado do incêndio, disse, foi “perda total”.

O fotógrafo identificado como SMK2, que registrou a imagem original do incêndio, também compartilhou uma fotografia dos escombros na manhã seguinte.

Em uma comparação com uma foto do Google Maps que data de junho de 2019, e é anterior ao início da construção do edifício de apartamentos, pode-se ver algumas semelhanças, como um semáforo (1), duas placas (2) e um poste de iluminação pública (3).

Capturas de tela feitas em 29 de maio de 2020 de uma publicação no Twitter (esquerda) e do Google Maps

Uma análise no Google Maps de imagens das cinco delegacias do Departamento de Polícia de Minneapolis (1, 2, 3, 4, 5) mostrou que nenhuma tem semelhanças com o edifício incendiado.

A delegacia de polícia incendiada

No último dia 28 de maio, manifestantes incendiaram uma delegacia de polícia em Minneapolis, na terceira noite de protestos pela morte de George Floyd.

Milhares de pessoas presenciaram o incêndio na zona norte da cidade, depois que algumas pessoas derrubaram as barreiras que protegiam o edifício e quebraram as janelas.

Esta fotografia da agência Getty Images mostra um manifestante em frente a uma delegacia do terceiro distrito da Polícia de Minneapolis no último dia 28 de maio. Contudo, não se trata do mesmo edifício cuja imagem viralizou nas redes sociais.

Em resumo, a fotografia de um edifício em chamas não mostra uma delegacia de polícia em Minneapolis, como afirmam publicações viralizadas, mas sim um edifício de apartamentos em construção, incendiado durante os protestos contra a morte de um cidadãos negro pelas mãos de um policial branco nessa cidade. Os manifestantes realmente atearam fogo em uma delegacia, mas a foto que se tornou viral corresponde a outra construção em outro local.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

AFP Brasil
Black Lives Matter