É montagem uma foto do “salve geral” do PCC em 2006 com uma faixa pedindo o ministro Alexandre de Moraes no STF

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Uma fotografia compartilhada mais de 2 mil vezes nas redes sociais desde o início de maio mostra presos durante uma rebelião em 2006 com duas faixas penduradas em um prédio, sendo que, em uma delas, lê-se a frase: “Alexandre de Moraes no STF”. A imagem, contudo, foi adulterada, pois a mensagem original era “Contra a opressão”.

“Pra quem acha que tudo é fake news, relembrar é viver. Ocorreu no ‘salve geral do PCC em 2006. Seria cômico se não fosse trágico [sic], indica a mensagem que acompanha a foto, compartilhada mais de 2,7 mil vezes no Facebook (1, 2, 3) desde o último dia 7 de maio. A mesma imagem circulou amplamente no Twitter (1, 2, 3) e, em menor escala, no Instagram.

Captura de tela feita em 29 de maio de 2020 de uma publicação no Facebook

Muitos usuários demonstraram estar indignados diante da imagem e fizeram comentários como: “O pior é que os BRASILEIROS tem A memória curtinhaaaaaa dê maaaaais [sic], “Muito bom vamos espalhar isso” e “Vai vendo essa foto! Tudo dominado no salve e já uma escolha prevista dentro de um planejamento do crime organizado”.

Na fotografia viralizada pode-se ver vários presos em cima de um edifício, muitos deles com os rostos cobertos, e duas faixas: “PCC Paz, Justiça e Liberdade” e “Alexandre de Moraes no STF”, esta última em referência a um dos atuais ministros do Supremo Tribunal Federal.

Esta imagem, contudo, foi adulterada.

Uma busca reversa* no Google Imagens pela fotografia levou a uma matéria publicada no site El País Brasil em março de 2014 a respeito do Primeiro Comando da Capital (PCC). Na imagem há o crédito ao fotógrafo Alex Silva, do Estadão, e a seguinte legenda: “Presos durante rebelião de maio de 2006”.

Comparação feita em 29 de maio entre a imagem viralizada (à esquerda) e a foto enviada ao Checamos pelo Estadão Conteúdo

Na foto, observas-e que a frase contida na faixa da direita, que fala sobre o ministro Alexandre de Moraes nas fotos viralizadas, sofreu alterações, já que originalmente dizia “Contra a opressão”.

Buscando as palavras “PCC Alex Silva Estadão”, a equipe de checagem da AFP no Brasil chegou a uma matéria especial publicada pelo Estadão em 2016, marcando os 10 anos dos ataques do PCC. Em um dos textos deste conjunto está, juntamente com outras imagens, a foto de Alex Silva.

Além desta, uma foto muito semelhante e do mesmo momento foi capa do jornal O Estado de S. Paulo em 15 de maio de 2006.

Em contato por e-mail com o Estadão Conteúdo, que enviou ao Checamos as informações da foto, foi possível confirmar a data e o local da imagem: 14 de maio de 2006, na penitenciária de Junqueirópolis, em São Paulo.

Segundo a legenda da foto, “os guardas da muralha dispararam para evitar uma possível fuga dos rebelados. O motim começou às 7 horas de hoje, quando familiares entravam para a visita. Os rebelados subiram no telhado e prenderam faixas na caixa d´água”.

As publicações viralizadas mencionam o ministro do STF Alexandre de Moraes, alvo de desinformação desde que autorizou diligências no âmbito do inquérito 4.781 para investigar notícias fraudulentas “que atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal e de seus membros”.

O atual ministro do STF, segundo o portal da corte, tomou posse do cargo em 22 de março de 2017, mais de 10 anos depois dos ataques do PCC, “na vaga decorrente do falecimento do Ministro Teori Zavascki, após aprovação pelo Senado Federal e nomeação pelo Presidente da República”, à época Michel Temer.

De acordo com a nota curricular encontrada no site do STF, Alexandre de Moraes ocupou de 2005 a 2007 - período que coincide com os ataques em São Paulo registrados na fotografia - a vaga de jurista da 1ª composição do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A onda de ataques iniciada em maio de 2006, popularmente conhecida como “salve geral”, teve como estopim a decisão da Secretaria de Administração Penitenciária de transferir centenas de presos, entre eles, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, considerado o líder do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Presos de 29 penitenciárias e CDPs (Centros de Detenção Provisória) se rebelaram, incluindo os detentos da penitenciária de Junqueirópolis, onde foi registrada a fotografia de Alex Silva. Estas ações paralisaram São Paulo e houve algumas retaliações que deixaram civis mortos.

Em resumo, é falso que a fotografia viralizada nas redes sociais mostre uma faixa com os dizeres “Alexandre de Moraes no STF” durante uma rebelião ocorrida em 2006 na penitenciária de Junqueirópolis, como parte de uma série de ataques orquestrados pelo PCC. Trata-se de uma montagem sobre a frase real: “Contra a opressão”.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

AFP Brasil