Foto de multidão é de protesto contra armas de fogo em 2018, não de ato a favor de Trump

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Uma imagem de uma multidão em Washington foi compartilhada centenas de vezes em redes sociais desde meados de dezembro como se mostrasse um protesto ao redor da Suprema Corte dos Estados Unidos exigindo um resultado “justo” para a eleição presidencial, vencida pelo democrata Joe Biden. Isso é falso. A imagem data, na verdade, de março de 2018 e foi feita durante um protesto contra armas de fogo, desencadeado por um massacre ocorrido em uma escola na Flórida um mês antes.

“Milhares de norte-americanos das mais variadas raças, origens e localidades, cercam o prédio da Suprema Corte, na capital do país, Washington D.C., pressionando por um resultado justo. Detalhe: todos armados”, diz o texto que acompanha algumas das postagens, compartilhadas no Facebook (1, 2, 3), Twitter (1, 2, 3) e Instagram desde o último dia 13 de dezembro.

“Você sabe o que é essa multidão? Povo americano cercando o STF lá… Vamos fazer o mesmo?”, escreveram outros usuários ao compartilhar a imagem um dia antes do Colégio Eleitoral se reunir para formalizar o resultado da eleição de 3 de novembro, em um encontro que confirmou a vitória do democrata Joe Biden sobre o atual presidente Donald Trump. 

Captura de tela feita em 16 de dezembro de 2020 de uma publicação no Twitter

O conteúdo - compartilhado também em inglês - reflete a retórica empregada por Trump, que se recusava a reconhecer sua derrota afirmando, inclusive, que recorreria à Suprema Corte para provar que venceu as eleições. Até agora, os recursos de aliados do presidente têm sido negados pelo tribunal.

Uma busca reversa pela imagem viralizada no Google mostra, contudo, que ela não tem qualquer relação com a eleição presidencial norte-americana de 2020.

A foto foi publicada, na verdade, em 2018 no banco de imagens Getty Images, com a legenda, em tradução livre do inglês: “Multidões e celebridades comparecem à Marcha por Nossas Vidas em 24 de março de 2018 em Washington”. A imagem foi feita pela fotógrafa Shannon Finney.

A Marcha por Nossas Vidas foi uma manifestação contra armas de fogo, desencadeada por um ataque a tiros que deixou 17 mortos em uma escola na Flórida, em 14 de fevereiro do mesmo ano.

Abaixo, uma comparação entre a imagem viralizada e a foto publicada dois anos antes no Getty Images: 

Comparação feita em 16 de dezembro de 2020 entre imagem publicada no Twitter (esquerda) e foto publicada no Getty Images

Uma imagem semelhante à compartilhada nas redes também foi feita pela AFP durante a manifestação de março de 2018, que contou com a participação de cerca de 800 mil pessoas, segundo os organizadores.

Os manifestantes não estavam, ainda, cercando o prédio da Suprema Corte dos Estados Unidos, mas protestando na avenida Pennsylvania, localizada entre a Casa Branca e o Capitólio, um pouco antes da sede da Comissão Federal do Comércio, como é possível constatar ao comparar a foto com imagens do Google Street View.

Desde que previsões da mídia declararam a vitória de Joe Biden sobre Trump, partidários do atual presidente chegaram a se manifestar pelo país, mas em quantidade muito inferior à registrada na Marcha por Nossas Vidas, em 2018. Em 14 de novembro, por exemplo, cerca de 10 mil manifestantes se reuniram a poucos quarteirões da Casa Branca para denunciar um suposto “roubo eleitoral”.

Este conteúdo também foi verificado pelas equipes de Aos Fatos e Agência Lupa.

Em resumo, é falso que a imagem compartilhada nas redes mostre norte-americanos cercando o prédio da Suprema Corte para exigir um resultado “justo” para as eleições presidenciais de 3 de novembro. A foto foi feita em 24 de março de 2018, durante uma manifestação contra armas de fogo.

AFP Brasil
Trump