Este trem não possui a inscrição “COVID-19”, seu fabricante afirma que a foto viral é uma montagem

Copyright AFP 2017-2020. All rights reserved.

A imagem de um vagão de trem com a inscrição “COVID-19” foi compartilhada milhares de vezes em redes sociais desde o último dia 17 de março, com usuários questionando se ela provaria que o novo coronavírus foi espalhado propositalmente pelo mundo. No entanto, a fabricante destes vagões, uma empresa norte-americana, assegurou que a foto foi manipulada, já que nenhum de seus veículos leva tal código.

Captura de tela feita em 24 de março de 2020 mostra imagem publicada no Facebook

“Um Amigo recebeu essa foto pelo Zap e está deixando muita gente intrigada. Será que o mundo foi atacado biologicamente e reforça a tese de que a China para dar o Golpe na Econômia mundial infectou seu próprio povo espalhando isso pelo mundo [sic]”, perguntou um usuário ao publicar a imagem no Facebook, em postagem compartilhada mais de 3.500 vezes desde o último dia 19 de março.

A foto aparece em diversas outras publicações na rede social (1, 2, 3), além de ter circulado também em francês e espanhol - neste idioma com legendas que asseguram que a imagem prova que o novo coronavírus foi criado pelos Estados Unidos.

Na imagem viralizada é possível identificar a inscrição “COVID-19” no canto direito do vagão (1) e o que parece ser um outro texto, escrito com letras menores, na parte debaixo (2). Em uma imagem maior, publicada em espanhol, se vê no canto esquerdo do vagão a inscrição “GATX” (3), como demonstrado abaixo. 

Captura de tela feita em 23 de março de 2020 mostra imagem publicada no Facebook

Ao pesquisar o nome GATX, a equipe de checagem da AFP localizou uma empresa norte-americana de aluguel de vagões ferroviários, com sede em Chicago. Em seu site, consta o mesmo modelo de vagão visto na imagem viralizada. 

Captura de tela da página Gatx.com, feita em 20 de março de 2020

Uma busca por outras imagens de vagões GATX localiza o mesmo tipo de vagão preto, com o mesmo código de quatro letras no canto esquerdo (3) e um texto inscrito no canto direito (2). No entanto, não há uma terceira inscrição com a palavra COVID-19 (1), como nas publicações viralizadas. 

Como também demonstrou o site de verificação norte-americano Snopes, a inscrição COVID-19 não corresponde ao sistema de registro dos vagões norte-americanos, resumido neste documento da Associação de Ferrovias Americanas.

Para verificar se a imagem do vagão foi alterada digitalmente, a equipe de checagem da AFP a analisou com a ferramenta InVid-WeVerify, que pareceu detectar uma diferença de pixels onde se situa a inscrição “COVID-19”, o que pode indicar a existência de uma manipulação. 

Captura de tela mostra análise da imagem realizada com a ferramenta InVid-WeVerify

Por seu lado, a filial europeia da GATX respondeu à AFP por e-mail: “Evidentemente é uma ‘fake news’, uma montagem ruim a partir de um dos nossos modelos de vagões norte-americanos”.

Da sede da GATX em Chicago, a diretora de Relações com Investidores, Shari Hellerman, reiterou a informação em outro e-mail: “A GATX está ciente de que circula uma imagem manipulada na internet, é completamente falsa”. “Não existe uma inscrição deste tipo [nos vagões GATX] e, além disso, não seria autorizada com base nas exigências de registro da Associação de Ferrovias Americanas”, acrescentou Hellerman.

O novo coronavírus provocou mais de 16 mil mortes em todo o mundo desde que foi detectado no final de dezembro de 2019, segundo um balanço de 24 de março da AFP. Desde o início da epidemia, foram registrados mais de 380 mil casos de contágio em 174 países ou territórios, cifra que pode ser ainda maior, já que alguns países só contabilizam casos quando há hospitalização.

Em resumo, a imagem de um vagão de trem com a inscrição COVID-19 é uma montagem, já que o vagão original não possuía, nem poderia possuir, segundo as normas norte-americanas, tais letras em sua lateral.

AFP Brasil
CORONAVÍRUS