Vídeo de pessoas correndo é vinculado à Mianmar desde 2021, sem relação com Yanomami

  • Este artigo tem mais de um ano.
  • Publicado em 13 de fevereiro de 2023 às 17:09
  • 3 minutos de leitura
  • Por AFP Brasil
Uma gravação em que um grande grupo de pessoas corre por um terreno árido não mostra garimpeiros fugindo da Terra Indígena Yanomami no início de 2023, ao contrário do que asseguram mensagens compartilhadas milhares de vezes nas redes. As publicações passaram a circular em meio a operações policiais que fizeram com que milhares de garimpeiros deixassem a TI em fevereiro deste ano. Mas o vídeo viralizado não é atual: as mesmas imagens circulam ao menos desde 2021 e evidências vinculam a gravação à mineração em Mianmar.

“Garimpeiros das terras yanomamis fugindo pra Venezuela por conta da operação da PF e do bloqueio no espaço aéreo...Vai pra Venezuela!...Fazueli”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook, no Instagram, no Twitter e no TikTok.

Image
Captura de tela feita em 9 de fevereiro de 2023 de uma publicação no Facebook ( .)

Na gravação, centenas de pessoas descem correndo um terreno íngreme de terra batida com pouca vegetação. Escavadeiras, motos e caminhões também são vistos no lugar.

Usuários nas redes afirmam se tratar da fuga de garimpeiros da Terra Indígena Yanomami após o governo federal ter criado uma força-tarefa contra o garimpo na região. Desde então, circulam nas redes vídeos de garimpeiros deixando a área às pressas.

Mas a gravação viral não retrata esse momento.

Minas em Mianmar

Uma busca reversa utilizando a ferramenta chinesa Baidu levou a uma publicação com o mesmo vídeo, datada de 2021, cerca de dois anos antes das operações para expulsar garimpeiros no Brasil. A legenda contida no vídeo está em chinês e, em tradução livre, diz: “Por favor, valorize a jade que você tem”.

A busca reversa levou, também, a uma publicação no Twitter em que um usuário afirmava que a sequência teria sido gravada em Mianmar. “Todos os dias pessoas arriscam suas vidas na esperança de encontrar um pedaço de joia de jade para ganhar algum dinheiro e alimentar suas famílias”, lê-se na postagem.

Pesquisas por palavras-chave realizadas a partir dessa informação levaram a outros vídeos e fotos que mostram regiões de exploração de pedras preciosas no país semelhantes ao local visto no vídeo viral (1, 2, 3).

É o caso dessa reportagem do veículo birmanês “Red News Agency” sobre as minas da região de “Hpakant”. Uma comparação entre as imagens permite concluir que ambas mostram o mesmo tipo de formação geográfica.

Image
Comparação feita em 13 de fevereiro de 2023 entre uma publicação feita por um usuário e pela rede de notícias "Red News Agency” no Facebook ( .)

Mianmar tem uma lucrativa indústria de pedras preciosas, mas que muitas vezes não segue as normas de segurança. Por esse motivo, acidentes envolvendo a mineração no país são comuns.

Em 2021 um deslizamento de terra deixou mais de 100 vítimas fatais, como registrado neste vídeo da AFP:

Vegetação diferente

O ambiente árido que aparece no vídeo tampouco se assemelha ao bioma característico da Terra Indígena Yanomami que, mesmo nas áreas afetadas pelo garimpo, exibe vasta vegetação.

Isso pode ser visto nestas fotos aéreas feitas pelo Greenpeace entre 2020 e 2022.

Image
Captura de tela feita em 10 de fevereiro de 2023 no site do Greenpeace ( .)

O AFP Checamos já verificou outras alegações envolvendo os Yanomami (1, 2, 3).

Esse conteúdo também foi checado pelo Aos Fatos, Uol Confere e Agência Lupa.

Há alguma informação que você gostaria que o serviço de checagem da AFP no Brasil verificasse?

Entre em contato conosco