Entrevista em que Bolsonaro critica o presidente do TSE é de 2021, não de dezembro de 2022

  • Este artigo tem mais de um ano.
  • Publicado em 20 de dezembro de 2022 às 21:02
  • 2 minutos de leitura
  • Por AFP Brasil
Um vídeo em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) critica o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e o inquérito das fake news não foi gravado em 13 de dezembro de 2022, como sugerem publicações compartilhadas mais de 10 mil vezes nas redes sociais desde o último dia 15. Na verdade, a gravação data de 5 de agosto de 2021. Na ocasião, o ministro determinou a investigação do mandatário no inquérito das fake news pelos ataques ao sistema eleitoral brasileiro.

“13.12.2022 OLHA O QUE NOSSO MARECHAL JAIR MESSIAS BOLSONARO ESTÁ FALANDO NESSE VÍDEO.!!”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook, Kwai e TikTok.

O vídeo circula com a data “13/12/22” sobreposta junto à seguinte frase: “Preste atenção no que o presidente fala”.

Image
Captura de tela feita em 20 de dezembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

No trecho viral, de pouco mais de um minuto, vê-se Bolsonaro sentado diante de um computador fazendo críticas ao ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes.

“Não dá pra continuarmos com um ministro arbitrário, ditatorial, que não respeita a democracia, que não leu a Constituição ou, se leu, aplica de acordo com o seu entendimento para cada vez mais agredir, não só a democracia, bem como fazer atingir os seus objetivos dessa forma. Isso é inadmissível”, disse.

E complementa: “Ele fez um absurdo agora! Me colocou como réu naquele inquérito fake news dele! O inquérito de novo de fake news, mas fake news é o próprio Alexandre de Moraes. Ele é a mentira em pessoa dentro do Supremo Tribunal Federal".

A gravação circula em meio a protestos de apoiadores de Bolsonaro – derrotado por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022 – que, desde o fim do pleito, alegam, sem provas, que houve fraude nas urnas e dias depois de o ministro da Corte autorizar uma megaoperação da Polícia Federal (PF) contra suspeitos de financiar esses atos.

No entanto, o vídeo que circula nas redes não foi feito nesse contexto.

Uma busca por palavras-chave no Twitter levou a uma sequência publicada em 5 de agosto de 2021 pelo portal de notícias UOL. “Bolsonaro ameaça Moraes após inquérito das fake news: ‘A hora dele vai chegar’”, lê-se no tuíte.

Uma pesquisa nos perfis do mandatário nas redes sociais por essa data mostra que o trecho que circula nas redes sociais foi tirado de uma entrevista concedida por Bolsonaro a uma rádio.

Um dia antes, Alexandre de Moraes incluiu o presidente no inquérito das fake news em razão das suas alegações contra o sistema eleitoral.

Este conteúdo também foi verificado pelo Aos Fatos.

Há alguma informação que você gostaria que o serviço de checagem da AFP no Brasil verificasse?

Entre em contato conosco