Uma foto de dinheiro apreendido em 2020 circula vinculado às eleições de 2022

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

A foto que mostra dezenas de maços de dinheiro apreendidos pela Polícia Federal (PF) não tem relação com o segundo turno das eleições de 2022. O conteúdo, que circulou dezenas de vezes nas redes sociais em 30 de outubro, mostraria “‘brindes’ que seriam entregues a cada pessoa que votasse” no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no estado do Pará. No entanto, a imagem foi registrada em agosto de 2020 após uma operação no Rio de Janeiro contra fraudes nos Correios.

“Segundo as investigações da PF ‘os brindes’ foram doados pelo atual governador do Pará Hélder Barbalho (MDB)”, continuam as postagens que circulam no Twitter e Facebook.

Captura de tela de um tuíte feita em 30 de outubro de 2022 ( .)

No entanto, a corporação negou por email a veracidade das postagens à agência de checagem Aos Fatos, parceira do AFP Checamos no projeto CheckBR.

A foto usada nas publicações mostra, na realidade, R$ 3,5 milhões apreendidos em uma operação contra fraudes nos Correios, em 4 de agosto de 2020, no Rio de Janeiro. Naquele dia, foi realizada a segunda fase da Operação Postal II, com mandados de busca e apreensão em São Paulo (SP), Praia Grande (SP), São Vicente (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

Vários dos conteúdos viralizados simulam uma reportagem do Diário do Pará, mas uma busca em seu site não trouxe notícias semelhantes.

Neste fim de semana, o AFP Checamos se uniu a outras 6 iniciativas de checagem de fatos no Brasil para verificar conjuntamente desinformação sobre as eleições. A parceria CheckBR reúne também Aos Fatos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Fato ou Fake e Lupa.

Eleições 2022