Sequência mostra ação de produtores rurais no rio São Francisco, não “bloqueio” por parte do MST

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

Um vídeo com pessoas empilhando sacos às margens do São Francisco mostra uma ação de produtores rurais em Pernambuco, e não um “bloqueio” à transposição do rio por parte do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). No entanto, a sequência com essa alegação foi compartilhada nas redes sociais mais de 10 mil vezes, desde 23 de outubro de 2022. Na verdade, a filmagem retrata atividades de limpeza e captação de água do Projeto Fulgêncio, em Santa Maria da Boa Vista. O Ministério do Desenvolvimento Regional disse à AFP não ter conhecimento de nenhum bloqueio no rio.

CRIME CONTRA OS NORDESTINOS: MST bloqueia transposição do rio São Francisco; confira o vídeo”, afirma uma das publicações compartilhadas no Twitter, Facebook e Kwai.

O conteúdo também foi encaminhado para o WhatsApp do AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar suas sugestões de checagem de conteúdos duvidosos vistos nas redes sociais.

Captura de tela feita em 24 de outubro de 2022 de uma publicação no Facebook

Segundo as publicações viralizadas, a mobilização vista nas imagens era para bloquear um trecho da transposição do rio São Francisco. O suposto objetivo seria impedir a chegada de água ao povo nordestino para, desse modo, prejudicar o desempenho eleitoral na região do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição.

As publicações ainda acusam o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) de estar promovendo a ação. Mas nenhuma dessas alegações é verdadeira.

Uma busca pelo perfil “MarcondesAlcantara636”, cujo nome aparece nas publicações do Kwai, levou ao vídeo viralizado. Em seu perfil é possível observar outras sequências feitas no mesmo local do registro que circula nas redes. As legendas dessas publicações indicam se tratar de uma ação comunitária de limpeza e captação de água. Em um de seus vídeos, um homem aparece agradecendo a todos que colaboraram com o trabalho.

A partir destas informações, o Checamos realizou uma busca pelas palavras-chave “captação de água no São Francisco”, que levou ao vídeo original publicado no portal Petrolândia Notícia e a uma matéria sobre a ação dos produtores.

Segundo o texto, a mobilização vista nos registros virais ocorreu em 22 de outubro de 2022 e contou com produtores rurais do Projeto Fulgêncio, na região de Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco. Na matéria, informa-se ainda que os trabalhadores dizem ser “fake news” a alegação de que a ação teria vínculos com o MST.

De acordo com a reportagem, a mobilização ocorreu para realizar uma limpeza no chamado “canal de aproximação”, com o intuito de melhorar a capacidade de captação de água para o abastecimento do perímetro irrigado, tanto para uso agrícola quanto para consumo animal.

No momento da gravação, realizada pelos próprios produtores rurais, eles faziam uma barreira de contenção para esvaziar o canal e facilitar o uso de máquinas. Em outro vídeo, é possível ver que as barreiras são retiradas e uma pessoa convoca novos colaboradores para auxiliar na tarefa.

À AFP, Alex Santos, morador da região que trabalhou na transposição do São Francisco, afirmou que o “canal de aproximação” do vídeo em questão não pertence a essa obra, já que os canais do São Francisco são concretados.

A partir da análise de imagens da obra de transposição, é possível notar que, de fato, os canais possuem em seu entorno estruturas de concreto que acompanham o curso do rio, como pode ser visto abaixo:

Captura de tela feita em 26 de outubro de 2022 da base de dados do Fórum da AFP ( FLORIAN PLAUCHEUR / AFPTV / AFP)

Além disso, o Ministério do Desenvolvimento Regional informou à AFP que não possui conhecimento sobre nenhum ponto de bloqueio em qualquer trecho do projeto neste momento.

Projeto Fulgêncio

O Projeto Fulgêncio, de acordo com informações da própria iniciativa, “é um Perímetro Irrigado criado pela Companhia Hidrelétrica do Vale do São Francisco (Chesf) e que beneficia os atingidos pela Barragem de Itaparica (...), localizada entre os municípios de Glória (BA) e Jatobá (PE)”.

O Sistema Itaparica foi projetado para atender a demanda de energia elétrica do Nordeste e passa por sete municípios, sendo quatro de Pernambuco e três da Bahia. Porém, após a sua criação, três municípios foram submersos pela água: Petrolândia e Itacuruba, em Pernambuco, e Rodelas, na Bahia.

As populações dos municípios submersos foram realocadas em outras regiões e os moradores de zonas rurais foram reassentados em iniciativas agrícolas, como é o caso do Projeto Fulgêncio (ex-Caraíbas).

O assentamento atualmente se constitui de 47 agrovilas e 2.500 casas, onde moram aproximadamente 15 mil pessoas.

O MST publicou uma nota em que afirma não ter “nenhum conhecimento sobre o fato retratado e difundido no vídeo” viral.

Conteúdo semelhante foi checado pelo Boatos.org.

Eleições 2022