O vídeo em que Jair Bolsonaro supostamente insinua que confiscará aposentadorias foi editado

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não afirmou em vídeo que, se for eleito no segundo turno das presidenciais, nomeará o ex-mandatário Fernando Collor (PTB) como ministro e que as aposentadorias serão confiscadas. Uma sequência com a suposta declaração foi publicada pelo deputado federal André Janones (Avante) e compartilhada mais de 1,1 mil vezes desde 9 de outubro de 2022 nas redes sociais. No entanto, a gravação foi editada e o candidato à reeleição se referia a “boatos” lançados por seus adversários políticos.

“Não sei a veracidade disso, mas a princípio não me parece montagem”, diz um trecho da publicação de Janones no Twitter. As postagens circularam não somente no Twitter, como no Facebook, YouTube, Kwai e TikTok.

O conteúdo também chegou ao WhatsApp do AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar temas vistos em redes sociais, se duvidarem de sua veracidade.

Captura de tela feita em 10 de outubro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

O trecho viral foi retirado de um vídeo em que Bolsonaro é entrevistado pelo jornalista Thiago Asmar para o canal Pilhado no YouTube.

Entretanto, a fala do presidente foi editada para sugerir o confisco de aposentadorias caso fosse eleito.

No vídeo transmitido ao vivo no YouTube em 9 de outubro de 2022, o candidato à reeleição comenta, aos 3 minutos e 47 segundos, que paga um preço por sua espontaneidade, usada contra ele “pela esquerda”: “Você fala três horas, daí tem 10 segundos de um tema, assim, meio esquisito. Pronto! Aquilo passou a ser a marca contra você. E a esquerda faz muito bem esse trabalho”.

Bolsonaro continua: “Agora estão falando duas coisas. Primeiro que eu sou canibal. (...) E a outra que o Collor vai ser ministro e nós vamos confiscar a aposentadoria dos aposentados”.

A declaração viral, portanto, foi um exemplo de como “a esquerda” inventaria boatos para prejudicá-lo, e não um anúncio sobre uma medida de confisco caso seja eleito no segundo turno, como insinuam as publicações nas redes sociais.

A suposta medida de confisco de aposentadorias não consta no programa de governo de Bolsonaro.

A edição de vídeos, retirando frases de contexto, tem sido uma estratégia de desinformação bastante utilizada durante a campanha eleitoral de 2022. O AFP Checamos já verificou alguns conteúdos desse tipo (1, 2, 3).

Eleições 2022