Comprovantes de votos do 2º turno de 2022 foram descartados por gráfica, não entregues a eleitores

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

Uma foto de comprovantes de votação de primeiro e segundo turnos das eleições de 2022 não prova que alguns eleitores já votaram na segunda etapa do pleito, marcada para 30 de outubro. O conteúdo acompanhado dessa alegação foi compartilhado centenas de vezes nas redes sociais desde 3 de outubro, um dia após a realização do primeiro turno da votação. No entanto, o Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), onde foram emitidos os documentos, explicou que foi detectado um erro de impressão nos cadernos de votação e eles foram, na verdade, descartados sem serem utilizados. A informação foi confirmada pela gráfica responsável.

As imagens que estão nas publicações virais mostram cinco comprovantes de votação de três eleitores diferentes. Dos cinco, três são referentes ao 2º turno de 2022, que acontecerá no dia 30 de outubro.

Na foto, é possível ver que os comprovantes são de eleitores do Espírito Santo. Contudo, no texto sobreposto à foto em algumas das postagens, alega-se que os papéis foram encontrados no município de Atibaia, em São Paulo.

"Tem gente com o comprovante do segundo turno de 2022. Será que ouve roubo nas urnas??????”, diz uma das postagens que circulam no Facebook e Twitter. O conteúdo também foi enviado ao WhatsApp do AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar conteúdos vistos em redes sociais, se duvidarem de sua veracidade.

Captura de tela feita em 5 de outubro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

O comprovante é um documento entregue a cada eleitor na saída da cabine de votação, que serve para demonstrar que o votante não tem pendências com a Justiça Eleitoral. A foto contida nas publicações virais não prova, contudo, que os papéis dos dois turnos foram entregues aos respectivos eleitores.

O TRE-ES se posicionou sobre o caso em nota divulgada em seu site. Segundo o tribunal, a gráfica licitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a impressão dos documentos encontrou erros no caderno de votação e fez o descarte do material de forma equivocada, deixando os comprovantes de votação “íntegros”.

A AFP solicitou ao TRE-ES o nome da empresa responsável pela impressão dos cadernos de votação no Espírito Santo: trata-se da “Indústria Gráfica Brasileira Ltda”.

Uma busca no Google levou ao site da companhia. Contatada pelo AFP Checamos via e-mail, a empresa confirmou que o solicitante pediu uma nova impressão dos cadernos referentes àquelas zonas eleitorais e que o material anterior foi “imediatamente fragmentado".

Segundo a gráfica, o processo de fragmentação é feito por um equipamento industrial que corta “todas as folhas em tiras com 4,5 cm de largura”, mas, que, “dependendo da posição que os cadernos caem nas facas ‘Trituradeira’, é possível que algumas unidades acabem não sendo refiladas corretamente”. Isso porque “as trituras acontecem com 4,5 cm e o canhoto tem 3,0 cm de largura”.

Algumas das publicações virais alegam, também, que os comprovantes foram encontrados “para reciclagem” em uma fábrica na região de Bom Jesus dos Perdões, em Atibaia (SP).

No entanto, em e-mail à AFP, o TRE de São Paulo informou que não “teve notícia do ocorrido no dia da eleição” e que, como os comprovantes seriam de eleitores do Espírito Santo, não teriam nenhuma relação com o cartório de Atibaia e nem com o tribunal de São Paulo.

Eleições 2022