Nas eleições de 2022, o número de urnas subiu no exterior e baixou nos presídios, oposto ao viralizado

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

O número de urnas encaminhadas para que brasileiros votem no exterior nas eleições de 2 de outubro de 2022 aumentaram em relação ao pleito anterior, no entanto a quantidade diminuiu em presídios, diferente do divulgado centenas de vezes por usuários nas redes sociais. As postagens, no entanto, citam um artigo da Ordem dos Advogados do Brasil-SP (OAB-SP) de 2010.

O conteúdo circula no Facebook, Twitter e foi encaminhado no WhatsApp do AFP Checamos para sua análise.

Captura de tela feita em 1 de outubro de 2022 de uma postagem no Facebook ( .)

Segundo apuração da agência Lupa, parceira do AFP Checamos no projeto CheckBR, nas eleições gerais de 2018 o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou 680 urnas eletrônicas e 64 urnas de lona a 171 locais de votação no exterior. Naquele ano, havia 500.257 eleitores fora do Brasil.

Em 2022, o número de urnas enviadas aumentou. De acordo com o TSE, foram enviadas 989 urnas eletrônicas e 29 urnas de lona para 181 localidades fora do país para que 697.078 brasileiros pudessem votar.

Além disso, segundo o TSE, em 2018 havia 233 locais de votação em unidades prisionais, em 152 municípios. Em 2022, esse número caiu para 222 seções eleitorais em 151 municípios.

Do seu lado, o artigo da OAB-SP que é divulgado nas redes sociais para endossar a afirmação do aumento de sessões dentro dos presídios foi publicado em 2010, quando o TSE regulamentou a instalação de urnas em presídios e unidades de internação.

Em seu portal, a OAB-SP divulgou uma nota esclarecendo que o artigo estava sendo compartilhado de forma distorcida e fora de contexto.

Neste fim de semana, o AFP Checamos se uniu a outras 6 iniciativas de checagem de fatos no Brasil para verificar conjuntamente desinformação sobre as eleições. A parceria CheckBR reúne também Aos Fatos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Fato ou Fake e Lupa.

Eleições 2022