Fotos de 2018 são usadas erroneamente para denunciar fraude em urnas em 2022

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

Nenhuma urna foi apreendida na cidade de Serafina Corrêa (RS) com votos previamente preenchidos e favoráveis ao candidato presidencial do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, ao contrário do que afirmam publicações que circulam no final de setembro de 2022 e acumulam uma centena de compartilhamentos. As duas fotos do conteúdo viral, na verdade, foram tiradas em 2018 durante uma operação policial na cidade de Iranduba (AM). E a rádio citada nas postagens como fonte da informação desmentiu que tenha noticiado a ação.

“Acabou de dar agora da Odisseia FM 104.9 que a Brigada Militar de Serafina Corrêa aprendeu 4 urnas eletrônicas no carro de Thiago Feronato, dessas 3 urnas estavam preenchida com voto para o Lula PT com pelo menor 81%", dizem publicações compartilhadas no Facebook (1, 2). O conteúdo também foi enviado ao WhatsApp do AFP Checamos para verificação.

Captura de tela feita em 1 de outubro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

Uma busca reversa pelas fotos das postagens através da ferramenta Yandex levou a uma matéria do site A Crítica de 21 de outubro de 2018. Na reportagem, afirma-se que o veículo retratado, na verdade, era dirigido por um servidor do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), que transportava as urnas eletrônicas até outro município quando foi parado por uma blitz policial.

À época, a Polícia Militar do Amazonas divulgou uma nota em que reiterou tratar-se de uma blitz “comum”. Disse, ainda, que nenhuma irregularidade foi encontrada no veículo e nas urnas. O TRE-AM também se manifestou sobre o caso.

Em 2018, as imagens acompanharam postagens similares, mas que afirmavam retratar urnas apreendidas pela brigada militar de Serafina Corrêa com votos computados a favor do então candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, e que a notícia teria sido veiculada pela rádio Odisseia FM 104.9. Em 23 de outubro daquele ano, a emissora desmentiu que tenha noticiado o caso.

Neste fim de semana, o AFP Checamos se uniu a outras 6 iniciativas de checagem de fatos no Brasil para verificar conjuntamente desinformação sobre as eleições. A parceria CheckBR reúne também Aos Fatos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Fato ou Fake e Lupa.

Eleições 2022