Declaração de Ciro Gomes sobre "fraude eleitoral" não era sobre segurança de urnas eletrônicas

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) disse que o Brasil está “na iminência de sofrer” uma fraude eleitoral, mas, ao contrário do sugerido em publicações compartilhadas centenas de vezes nas redes, sua fala não colocava em dúvida a segurança da votação brasileira. Em um pronunciamento no último 26 de setembro, o candidato afirmou, na verdade, que eleitores que escolherem entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) serão vítimas da “fraude do estelionato eleitoral”. No discurso, Gomes deixava claro que a fraude a que aludia não tinha relação com o funcionamento das urnas eletrônicas, que descreveu como “invioláveis”.

“Esse é meu maior medo! Essas eleições ja tem o vitorioso que é Jair Messias Bolsonaro mas as fraudes estão cada vez mais acentuadas... será que vamos ter eleições limpas?”, indaga uma das publicações que circulam no Facebook (1, 2), Twitter (1, 2) e Instagram junto à frase “Ciro Gomes diz: País sofrerá a maior fraude eleitoral da história”.

Captura de tela feita em 27 de setembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

Uma busca no Google pelas palavras-chave “Ciro Gomes”, “fraude” e “eleição” mostrou que a frase contida nas publicações virais foi extraída de um vídeo de Ciro Gomes gravado em 26 de setembro de 2022: trata-se de um manifesto feito pelo presidenciável reiterando a permanência de sua candidatura na corrida eleitoral.

No trecho, ele diz que o Brasil está na “iminência de sofrer a maior fraude eleitoral da nossa história”, mas, logo em seguida, completa: “não a mentirosa fraude das urnas eletrônicas inventada por Bolsonaro, mas a fraude do estelionato eleitoral que sofrerão as vítimas que apertarem nas urnas invioláveis o 13 ou o 22”. Veja o trecho completo:

O comitê de campanha de Ciro Gomes enviou à AFP a transcrição da declaração dada pelo presidenciável em 26 de setembro. Nela, confirma-se que a fraude eleitoral mencionada pelo presidenciável está ligada, segundo o que expressou, a um possível estelionato por parte do presidente Jair Bolsonaro ou de Lula.

Nas últimas semanas, apoiadores de Lula passaram a defender que eleitores do candidato do PDT votem no ex-presidente para que a eleição presidencial seja decidida já no primeiro turno. Segundo a última pesquisa divulgada pelo Ipec, Ciro Gomes está na terceira colocação da disputa eleitoral, empatado tecnicamente com Simone Tebet (MDB).

Eleições 2022