Publicações enganam ao divulgar prisão de Tedros Adhanom, diretor da OMS; artigo original é satírico

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas desde 24 de julho de 2022 se baseiam em um site satírico ao comentar a suposta prisão do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom. Segundo usuários, ele teria sido preso pela Interpol, por crimes contra a humanidade e genocídio. Mas, além de o portal que teve o artigo viralizado identificá-lo como “obviamente satírico”, Adhanom participou de eventos e publicou conteúdos em suas redes sociais nos dias em que a alegação começou a circular.

“Tedros Adhanom Ghebreyesus, o atual diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi preso pela Interpol e está preso por crimes contra a humanidade e genocídio. Isso ocorre quando as agências policiais em todo o mundo começaram a visar políticos, empresários e líderes corporativos por seu papel na “plandemia” e por empurrar vacinas desnecessárias e mortais para a população humana”, diz o texto, compartilhado no Twitter, Facebook e Instagram.

As mensagens sobre a suposta prisão de Adhanom circulam também em inglês, espanhol, francês e italiano.

Captura de tela feita em 27 de julho de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

A manchete vista nas publicações remete a um artigo do site Vancouver Times que tem o mesmo autor e data — 24 de julho de 2022 — vistos nas capturas de tela virais

Uma consulta ao portal mostra, no entanto, que o conteúdo do texto não é verdadeiro, já que o site se define como “a fonte mais confiável sobre sátiras” na Costa Oeste do Canadá. “Escrevemos artigos satíricos sobre questões que afetam os conservadores”, diz.

Tedros Adhanom não poderia estar preso, como alegam as publicações, já que em 28 de julho de 2022 fez uma fala de abertura em um webinar sobre o dia da hepatite e publicou no Twitter sobre um encontro com o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), Gerd Mueller.

Desde 24 de julho, quando as mensagens começaram a circular, Adhanom tratou de diversos assuntos em suas redes sociais.

Em uma delas, sobre a varíola do macaco, ele comentou sobre como a desinformação se espalha rapidamente online e, em nome da OMS, pede que plataformas e veículos de comunicação trabalhem para combater alegações danosas e desinformativas.

Diante da repercussão do assunto, o Vancouver Times publicou uma nota de atualização no artigo atestando que ele é “obviamente satírico”.

COVID-19