Contas falsas reportaram a "morte" do mesmo homem no Afeganistão e na Ucrânia

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Uma imagem que mostra dois tuítes atribuídos à CNN, nos quais o veículo supostamente reporta a morte da mesma pessoa tanto no Afeganistão em 2021 quanto na invasão russa da Ucrânia em 2022, foi compartilhada mais de 2 mil vezes desde, pelo menos, 27 de fevereiro passado. Mas as contas de Twitter visíveis na captura de tela não são genuínas, como confirmou a CNN à AFP. Elas foram criadas para que se passassem pelo canal de televisão e foram suspensas pela plataforma. Além disso, o homem que aparece nas imagens é um jogador de videogame, que já foi alvo de alegações falsas similares no passado.

“Pelo jeito agora é possível morrer 2 vezes CNN usou a mesma foto do jornalista Bernie Gores para noticiar que ele morreu no Afeganistão em agosto de 2021 e também na Ucrânia em fevereiro de 2022”, diz uma das publicações compartilhadas no Twitter (1, 2). Conteúdo similar circula no Facebook (1, 2) e no Instagram (1, 2).

Captura de tela feita em 1 de março de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

As alegações têm sido compartilhadas nas redes sociais dias após a invasão da Rússia à Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022 e também circulam em húngaro, inglês, espanhol, alemão e árabe.

As publicações viralizadas mostram a comparação de dois tweets, ambos com a mesma foto de um homem. Uma das supostas mensagens foi publicada pela conta de Twitter “@CNNAfghan” e afirma que mostra o “jornalista da CNN Bernie Gores”, que teria sido “executado em Cabul por soldados do Talibã”. Já o outro tuíte foi publicado pela conta “@CNNUKR” e diz que a imagem mostra o ativista norte-americano “Bernie Gores” morto por “uma mina plantada pela Rússia e apoiada por separatistas”.

Mas as contas de Twitter vistas nas imagens viralizadas estavam se passando pelo canal de notícias e foram suspensas desde então.

As contas não são genuínas

O tuíte feito pela conta "@CNNAfghan" circula na internet desde agosto de 2021 e já foi desmentido por outros veículos como Reuters e PolitiFact.

"@CNNAfghan" foi suspensa desde então com a mensagem “O Twitter suspende as contas que violam as Regras do Twitter”.

Usando a ferramenta WaybackMachine, que arquiva publicações, é possível ver versões arquivadas do perfil quando ainda estava ativo. As capturas mostram que foi criado em maio de 2021, e tinha 6 tweets e 132 seguidores antes de ser suspenso. Não era uma conta verificada.

As contas verdadeiras de afiliadas da CNN no Twitter - como é possível ver abaixo - são acompanhadas de um símbolo azul mostrando que são verificadas. Cada uma delas tem milhões de seguidores.

Comparação em 28 de fevereiro de 2022 mostrando a conta de Twitter da CNN Internacional (E) e diversas outras contas oficiais da CNN no Twitter com o símbolo azul de verificação (D) ( . / )

De maneira similar, a conta "@CNNUKR", responsável pelo outro tuíte viralizado, também foi suspensa. Uma versão arquivada da conta mostra que a publicação foi compartilhada em 23 de fevereiro de 2022, após Putin ter ordenado que tropas russas entrassem em regiões separatistas no leste da Ucrânia, o que depois mostrou-se um prelúdio para a invasão em larga escala do país.

O perfil "@CNNUKR" tinha, então, 129 seguidores e também não era verificado. De maneira similar a outras contas de Twitter falsas, o perfil publicou alguns links para artigos reais da CNN, em uma tentativa de parecer genuíno. A suposta notícia sobre a vítima norte-americana não incluía link algum.

Em 28 de fevereiro de 2022, o vice-presidente de Comunicações Internacionais da CNN, Jonathan Hawkins, confirmou para a equipe de verificação da AFP por email que as contas de Twitter na imagem viralizada “não são contas oficiais da CNN”.

Uma busca no site da CNN pelo nome “Bernie Gores” trouxe como único resultado uma notícia de 2016, que não tinha relação com a morte de um jornalista ou com vítimas na Ucrânia.

O homem ainda está ativo online

Como sinalizado por artigos desmentindo a falsa conta do Afeganistão em agosto de 2021, o homem nas imagens é um jogador de videogame e youtuber chamado Jordie Jordan. Observando vídeos do canal no YouTube verificado de Jordan e as fotos que apareciam junto às alegações falsas é possível perceber que, de fato, trata-se do mesmo homem.

Uma captura de tela de uma das publicações viralizadas (E) e uma de um vídeo compartilhado no canal no YouTube de Jordie Jordan em 9 de fevereiro de 2022, feitas em 28 de fevereiro de 2022. ( . / )

A imagem das publicações viralizadas também pode ser encontrada na página Wikitubia de Jordan. A página da biografia, editada de forma pública, ressalta que Jordan já esteve envolvido em diversas controvérsias e é alvo recorrente de assédio online.

Ele também foi falsamente dado como desaparecido durante a explosão de Beirute em 2020. Alguns seguidores de Jordan recentemente lhe perguntaram sobre as últimas notícias falsas que relatavam sua morte em um vídeo divulgado em seu perfil em 27 de fevereiro de 2022. Jordan não respondeu a esses questionamentos, mas sua conta continua postando vídeos no YouTube.

2 de março de 2022 Corrige informação no oitavo e no décimo parágrafo
Conflito ucraniano-russo