A prisão do cientista norte-americano Charles Lieber não tem relação com a “venda” da COVID-19

Publicado em 15/04/2020 às 21:59

Diversos vídeos e imagens da suposta prisão do cientista norte-americano Charles Lieber por ter fabricado e vendido o novo coronavírus à China circulam nas redes sociais desde o último dia 3 de abril. Lieber realmente foi detido em janeiro, mas, diferentemente do que alegam as postagens viralizadas, isto se deu por supostamente trabalhar em segredo com o país asiático no roubo de propriedade intelectual.