Não é o governador do Maranhão, Flávio Dino, o homem agredido em vídeo viralizado

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo que supostamente mostra o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), sendo agredido após decretar novas medidas restritivas para conter a propagação da covid-19 no estado foi visualizado mais de 105 mil vezes em redes sociais desde o início de março. Dino não tem relação, contudo, com a gravação viralizada. A sequência mostra, na verdade, uma briga entre um ex-vereador e um atual vereador maranhenses devido ao não comparecimento a sessões da Câmara do município de Timon, que ocorreu no último dia 1º de março.

No vídeo, um homem de camisa azul chuta um segundo, de terno, enquanto outras pessoas tentam intervir. “Governador do Maranhão sendo agredido”, diz o texto sobreposto à gravação, amplamente compartilhada no Facebook (1, 2, 3), Instagram (1, 2, 3) e Twitter.

“O LOCKDOWN DA FRAUDEMIA NÃO VAI TERMINAR BEM [...] A população já está partindo para as vias de fato contra os ditadores totalitários comunistas que estão quebrando o nosso Brasil”, escreveu um usuário ao replicar a sequência, após Flávio Dino restringir o horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais no Maranhão para conter a propagação do novo coronavírus. 

Captura de tela feita em 8 de março de 2021 de uma publicação no Facebook

Uma busca reversa pelo vídeo viralizado mostra, contudo, que a agressão não tem relação com o governador do Maranhão.

A mesma sequência foi publicada em diversos artigos (1, 2, 3) que reportam a ocorrência de uma briga entre o ex-vereador do município maranhense de Timon Anderson Pêgo e o atual vereador da localidade Thiago Carvalho (DEM), no último dia 1º de março.

De acordo com as matérias, Pêgo, vestindo a camisa azul, teria agredido Carvalho após este ter criticado publicamente supostas faltas da vereadora Alynne Macêdo (PSD), que é esposa do ex-representante local.

De fato, em sua conta no Facebook, Pêgo publicou um vídeo confirmando que as imagens mostram ele e o vereador Thiago Carvalho. Segundo afirmou, estava agindo em legítima defesa após Carvalho fazer críticas “infundadas” contra sua esposa e tentar “intimidá-lo”.

Na publicação, incluiu uma foto em que tanto ele como Carvalho aparecem vestindo as mesmas roupas da gravação. O sofá em que estão sentados na imagem também é o mesmo visto ao fundo da sequência compartilhada nas redes.

Em sua conta no Facebook, Thiago Carvalho também se pronunciou sobre a briga.

“Diante do acontecido na sessão de hoje eu venho aqui falar um pouco para a sociedade timonense. Eu, por ter questionado a ausência da vereadora Alynne por faltar sessões da Câmara, o marido dela, o ex-vereador Anderson Pêgo, me agrediu na antessala que antecede o plenário [...] Peço desculpas à sociedade por estar envolvido nessa situação”, disse, em vídeo publicado em 1º de março.

Amplamente adotadas durante a primeira onda da pandemia de covid-19 no Brasil, as medidas que limitam o funcionamento de estabelecimentos públicos voltaram a ser decretadas pelo país à medida que o número diário de mortes pelo novo coronavírus supera os recordes registrados em 2020.

Um dos estados que implementou novamente as restrições foi o Maranhão, indo contra a vontade de associações de empresários e estabelecimentos comerciais.

AFP Brasil
CORONAVÍRUS