Levantar-se rápido não provoca morte súbita, indicam especialistas

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Uma publicação compartilhada mais de 300 mil vezes ao menos desde março de 2019 aconselha que as pessoas aguardem três minutos e meio antes de se levantarem da cama durante a noite para evitar morte súbita por falta de fluxo sanguíneo e insuficiência cardíaca. Entretanto, os médicos consultados pela AFP assinalam que não existem evidências científicas que provem isto. De qualquer forma, aconselham que levantem devagar para evitar vertigens, que ocorrem especialmente em pessoas com idade avançada, ou que tomam determinados medicamentos.

“Evite morte súbita à noite, leia este conselho…”, começa o texto da publicação viralizada no Facebook, ilustrada em sua maioria por duas imagens de pessoas dormindo, com destaque para o estômago e o suco gástrico (“jus gastrique”, escrito em francês).

“Para aqueles que acordam durante a noite para inspecionar a casa ou urinar. Cada pessoa deve tomar nota de três minutos e meio”, segue a mensagem, que circula pelo menos desde 19 de março de 2019 e que segue sendo amplamente compartilhada.

A postagem assegura que ao se levantar repentinamente, “o cérebro ficará anêmico e causará insuficiência cardíaca devido à falta de sangue”, e que esperar três minutos e meio antes levantar da cama totalmente reduzirá “o risco de queda e morte súbita”.

Publicações com uma mensagem semelhante foram igualmente encontradas em espanhol, registrando mais de meio milhão de compartilhamentos.

Captura de tela feita em 15 de julho de 2020 de uma publicação no Facebook

Uma busca reversa pela imagem que ilustra as postagens em português mostra que ela é utilizada ao menos desde 2016 em artigos escritos em francês que tratam sobre a posição ideal para dormir - que seria sobre o lado esquerdo do corpo para evitar indigestão ou refluxo -, mas sem qualquer relação com a possibilidade de favorecer uma morte súbita.

Vertigem posicional

Os especialistas consultados pela equipe de checagem da AFP concordam que realmente pode acontecer de um indivíduo sentir tontura ao levantar-se rapidamente da cama, ou de uma cadeira, em pessoas muito sensíveis, de idade avançada, ou com alguns problemas de saúde. Contudo, descartam que exista o risco de morte súbita, ou de infarto, por se levantar repentinamente.

Contactado pela AFP, o cardiologista uruguaio Alejandro Cuesta indicou que o fato de se levantar rápido “não leva à morte súbita, nem a um infarto, mas pode ser muito incapacitante”.

Alfonso Valle, da Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC), concordou com Cuesta, assegurando à AFP sobre a publicação viral que “tudo é falso”.

O especialista explicou: “No momento de nos levantarmos, é ativado um reflexo que fecha parcialmente a circulação venosa para melhorar o retorno sanguíneo”. Este reflexo pode ser mais lento em certas pessoas de idade avançada, ou que estejam sendo medicadas, e “se elas se levantarem de maneira brusca podem [...] sofrer um desmaio”, comentou.

Além disso, o fisiologista Juan Llopis, catedrático da Universidade de Castilla-La Mancha, explicou em um e-mail à AFP que as pessoas que ficam tontas ao se levantarem repentinamente “costumam ter um tipo de hipotensão”, chamada hipotensão ortostática, ou postural”.

Este tipo de hipotensão, segundo o Manual MSD, “significa que a vertigem surge quando a pessoa muda a posição, por exemplo, estar deitada na cama e virar a cabeça”. A Clínica de Mayo, por sua vez, indica, em espanhol, que esta “é uma forma de pressão arterial baixa que ocorre quando você fica de pé depois de estar sentado, ou deitado”.

Existem pessoas “predispostas” a esta hipotensão, “idosos, diabéticos, [indivíduos com o mal de] Parkinson, etc”, que podem chegar a sofrer “uma perda de consciência transitória”, que apesar de não ocasionar a morte, “pode ser muito incapacitante”, assinalou o cardiologista Cuesta.

O médico explicou: “ao ocorrer uma queda repentina da pressão arterial”, quando a pessoa hipotensa se levanta rapidamente, “não chega sangue suficiente ao cérebro”, o que provoca a perda de consciência. “É sempre transitória, porque ao voltar à posição horizontal o fluxo volta ao normal, acordando” a pessoa afetada, acrescentou. Esta perda de consciência “não tem um maior risco de morte súbita, mas sim de lesões causados por traumatismos devido a quedas, golpes…”, concluiu.

E os três minutos e meio?

Segundo os especialistas consultados pela AFP, embora seja verdade que levantar-se lentamente pode ajudar com essas vertigens, não há um tempo preciso estabelecido para evitá-las.

“Podem ser evitadas mudando a sua posição mais lentamente, por exemplo, sentando-se na cama por alguns segundos e depois levantando-se”, explicou o fisiologista Llopis.

O cardiologista Cuesta, por sua vez, acrescentou: “Costuma-se recomendar que o paciente primeiro se sente na beira da cama por alguns minutos e depois se levante […] Isso dá mais tempo ao organismo para se adaptar à mudança de posição”.

Alguns sites médicos aconselham evitar “mudanças repentinas de posição”, ou, ao se levantar, ter certeza “de ter um local para se apoiar” a fim de evitar tonturas ao se colocar de pé.

O conselho geral dos especialistas, assim como das páginas especializadas, é “informar ao médico se você tem tonturas, ou vertigens, recorrentes, repentinas e graves sem causa aparente e de maneira prolongada”.

Em resumo, especialistas consultados pela equipe de checagem da AFP concordam que, em alguns casos, levantar-se repentinamente pode causar tonturas, mas descartam que exista um risco de morte súbita, ou infarto, por essa razão.

 
Natalia Sanguino
Tradução e adaptação
AFP Brasil