É uma montagem a foto de uma emissora francesa mostrando um manequim "internado" por covid-19

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Publicações afirmando que, para mostrar como os hospitais da França supostamente estão cheios devido à variante ômicron, uma emissora de TV filmou um manequim deitado em uma maca foram compartilhadas centenas de vezes nas redes sociais desde o último dia 13 de dezembro. Mas a imagem viralizada é uma montagem. Uma emissora canadense fez essa transmissão em abril de 2020, mas para mostrar como funcionava um hospital que atendia pacientes com covid-19. A tarja da emissora francesa BFMTV vista na foto é de uma notícia veiculada em 22 de novembro de 2021, quando a variante ômicron ainda não havia sido detectada no país.

“Luz, câmera, ação! França - Os hospitais estão tão ‘saturados’ da variante ômicron que nem dá tempo de colocar os braços nos manequins, para mostrar na TV”, assinalam as publicações compartilhadas no Facebook (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2, 3) desde meados de dezembro de 2021.

Nos comentários os usuários demonstravam indignação pela suposta situação transmitida na televisão: “Que absurdo .surreal .. monstros” e “Pra causar pânico na população”.

Captura de tela feita em 18 de dezembro de 2021 de uma publicação no Twitter ( .)

A imagem - que mostra um manequim sem um braço e parte do corpo de dois profissionais da saúde - também circulou em espanhol (1), inglês e francês com alegação semelhante, se trata, na verdade, de uma montagem.

Matéria da BFMTV

A imagem viralizada mostra, na sua parte de baixo, uma tarja com as frases, em tradução livre do francês: “Castex testa positivo para covid-19” e “ALERTA INFORMATIVO Jean Castex testa positivo para covid-19”.

Na parte superior, à esquerda, há o logo da BFMTV, uma emissora francesa, e o horário, 22:01.

O dia em que o primeiro-ministro francês, Jean Castex, testou positivo foi em 22 de novembro de 2021. A transmissão da BFMTV nesse dia, às 22h01, não mostrava qualquer cena semelhante à vista nas publicações virais.

Além disso, a notificação da existência da variante ômicron, inicialmente detectada na África no Sul, foi feita em 25 de novembro de 2021, ou seja, três dias após a emissora abordar a contaminação do premiê.

Na França, o primeiro caso da variante ômicron foi notificado em 2 de dezembro de 2021.

A publicação mais antiga com a imagem que o AFP Checamos encontrou foi este tuíte em francês de 10 de dezembro de 2021. Em resposta a um dos comentários, o autor do tuíte disse: “Evidentemente que é uma montagem. Evidentemente que é uma piada…”.

Hospital no Canadá em 2020

Uma busca reversa pela captura de tela na ferramenta Yandex mostrou um registro mais distante da cena, e sem a tarja de informação abaixo, e uma segunda imagem, dessa vez contendo um logo à esquerda escrito “Québec”.

Uma pesquisa pelos termos em francês “manequim + simulação + covid + hospital + Canadá” levou a um texto publicado pelo site Radio Canada em 8 de outubro de 2021 sobre a checagem de duas imagens de manequins vistos em macas hospitalares apresentados como “pacientes” de covid-19.

No artigo há, então, um link para uma matéria transmitida pela própria Radio Canada em 17 de abril de 2020 e intitulada: “No coração de um hospital de covid-19”, em tradução livre do francês.

Há, ainda, a seguinte descrição: “Mergulhe na realidade dos profissionais de saúde que trabalham todos os dias para combater a covid-19. Bruno Savard fez uma visita com o doutor Mathieu Simon, pneumologista e chefe da terapia intensiva do Instituto Universitário de Cardiologia e Pneumologia de Québec.

Na imagem abaixo é possível conferir o momento do vídeo semelhante ao visto na imagem viralizada, mas em seu contexto original:

Captura de tela feita em 19 de dezembro de 2021 no site da Radio Canada ( .)

No vídeo, o médico Mathieu Simon explica como funciona a área do hospital dedicada apenas aos pacientes infectados pela covid-19. “Não posso levá-lo lá, sobretudo pela sua segurança”, diz ao jornalista que o entrevista.

Essa sequência foi filmada no início da pandemia, em um momento em que Québec “não estava sendo muito afetada pela covid”, mas que estavam recebendo pacientes de outras regiões mais atingidas pela pandemia, segundo o médico.

O Checamos já verificou outras alegações (1, 2) sobre o suposto uso de manequins para gerar medo ou enganar sobre as internações em meio à pandemia de covid-19.

Conteúdo semelhante foi checado pelas equipes da Agência Lupa e do Aos Fatos.

COVID-19