Oficial de saúde desmaiou semanas após a Dinamarca interromper o uso da AstraZeneca

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo visto mais de mil vezes nas redes sociais circula desde, pelo menos, 29 de setembro de 2021, acompanhado da alegação de que mostraria a “diretora de medicamentos do governo” da Dinamarca desabando no chão em meio a uma apresentação dos “benefícios da vacina” contra a covid-19. Segundo as publicações, após este episódio, a Dinamarca teria cancelado definitivamente o uso da AstraZeneca. Mas isso é enganoso: Tanja Erichsen, chefe da Agência Dinamarquesa de Medicamentos à época, desmaiou em abril passado durante uma conferência de imprensa que tratava, justamente, da prorrogação da proibição do imunizante no país, já suspenso desde março de 2021. A mesma funcionária esclareceu posteriormente que estava bem e publicou um artigo nas redes sociais que afirmava que, no momento do incidente, ela ainda não havia sido vacinada.

“Após a diretora de medicamentos do governo desabar subitamente no chão em plena apresentação política sobre os ‘benefícios’ da ‘vacina’, a Dinamarca cancelou o EXPERIMENTO com o inoculante da AstraZeneca. Sem explicação sobre o desmaio da política, a imprensa permanece calada”, diz uma das publicações que circulou no Twitter (1, 2, 3). O conteúdo também foi compartilhado no Instagram e no Facebook (1, 2, 3).

Captura de tela feita em 22 de novembro de 2021 de uma publicação no Twitter ( . / )

O vídeo circulou em inglês e em espanhol. Conteúdo semelhante foi compartilhado em indonésio, com a alegação de que a funcionária havia morrido.

Uma busca por palavras-chave na internet mostrou que a oficial no vídeo viralizado era Tanja Erichsen, chefe de farmacovigilância interina à época na Agência de Medicamentos da Dinamarca.

Uma versão mais longa do vídeo foi publicada pelo canal de notícias turco TRT World no YouTube em 15 de abril de 2021, com o título: “Oficial da Dinamarca desmaia durante conferência sobre covid-19”.

A legenda do vídeo diz: “A chefe da Agência de Medicamentos da Dinamarca, Tanja Erichsen, desmaiou durante uma conferência de imprensa ao vivo na TV a respeito da decisão do país de parar de usar a vacina da AstraZeneca”.

O uso do imunizante da AstraZeneca na Dinamarca já estava suspenso desde 11 de março de 2021, mas, em 14 de abril - dia da conferência em que Erichsen desmaiou -, a Autoridade de Saúde da Dinamarca anunciou que a campanha seguiria sem o uso da vacina. O desmaio da oficial, portanto, não foi a causa para a interrupção do uso do imunizante.

A Agência de Medicamentos da Dinamarca tuitou em 14 de abril que Erichsen havia se recuperado mais tarde.

Em 19 de abril de 2021, Erichsen tuitou uma foto de si mesma e disse que estava bem: “Muito obrigada a todos por se importarem e por suas mensagens - isso aquece meu coração. Foi um golpe duro na minha cabeça, mas eu me recuperei da maior parte agora. O grande apoio que recebi tanto aqui no Twitter quanto em outras plataformas significou muito para mim. MUITO obrigada”, ela disse no tweet em dinamarquês.

Como o posto de chefe de farmacovigilância da Agência é ocupado atualmente por Line Michan, a conta que publicou a mensagem mudou de @LMSTErichsen para @LMSTMichan.

Comparação feita em 23 de novembro de 2021 entre um tuíte arquivado da antiga chefe de farmacovigilância da Agência de Medicamentos da Dinamarca Tanja Erichsen (E) e a atual ocupante do cargo, Line Michan (D) ( . / )

Alguns dias depois, Erichsen também tuitou (1, 2) um artigo do site de verificação de fatos dinamarquês TjekDet, que afirma que o incidente não esteve relacionado à imunização, já que ela ainda não havia sido vacinada contra covid-19.

Em 20 de maio de 2021, o Ministério da Saúde dinamarquês voltou a permitir que seus cidadãos recebessem tanto a vacina da AstraZeneca quanto o imunizante da Johnson & Johnson, mas somente em um esquema de vacinação opcional. Como ambas as vacinas não fazem parte da campanha de imunização geral do país, uma consulta e uma recomendação médica são necessárias antes da vacinação, segundo o anúncio do Ministério.

De acordo com o anúncio de 14 de abril da Autoridade de Saúde da Dinamarca, a decisão de interromper o uso da AstraZeneca foi motivada por estudos que indicaram um possível elo entre casos muito raros, porém sérios, de efeitos colaterais como coágulos sanguíneos incomuns, sangramentos e contagem baixa de plaquetas. No mesmo anúncio, porém, a autoridade dinamarquesa ressaltou que concordava com a posição da agência reguladora europeia, de que os benefícios da vacina no combate à pandemia superam os riscos.

COVID-19 VACINAS