A foto de veículos abandonados não mostra um “cemitério” de carros elétricos na França

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Uma imagem de dezenas de carros abandonados em um terreno baldio foi compartilhada milhares de vezes desde junho de 2021 em vários idiomas e em algumas postagens afirma-se que se trata de “um cemitério” na França, onde veículos elétricos são supostamente descartados quando suas baterias se esgotam. No entanto, a fotografia mostra carros de uso compartilhado de uma empresa chinesa nos arredores de Hangzhou, e o ex-gerente dessa companhia disse que a maioria eram carros elétricos de primeira geração que deveriam ser substituídos por modelos mais novos.

“Cemitério de carros elétricos em Paris, França. Ninguém tem uma conta para os servir porque é mais barato comprar uma nova do que substituir as pilhas. Lá se vai a questão da grande ecologia”, assinala esta publicação compartilhada no Facebook no último 15 de julho.

A mesma foto também foi encontrada no Instagram, onde soma mais de 10 mil curtidas, e em publicações em outros idiomas, como em inglês e espanhol.

Captura de tela feita em 23 de julho de 2021 de uma publicação no Instagram

Uma busca reversa pela imagem no Google mostrou mais de 100 resultados, em vários casos atribuindo a foto em diferentes idiomas a um cemitério de automóveis na França.

Uma nova pesquisa, mas usando outras palavras-chave, como “carros”, “elétricos”, “abandonados” e “cemitério”, forneceu como resultado fotos semelhantes publicadas pelo jornal estatal chinês People’s Daily e datado de 25 de abril de 2019. O artigo se refere a essas fotos, creditadas à agência de notícias estatal Chinanews, como “um cemitério de automóveis em Hangzhou”.

Captura de tela feita em 8 de junho de 2021 de um texto no site chinês People’s Daily

De acordo com o texto, os veículos são “novos carros híbridos abandonados em um estacionamento perto da cidade de Hangzhou, ao lado do rio Qiantang”.

Pelo que se pode observar nas imagens, parecem ser carros elétricos fabricados pela empresa chinesa Kandi Technologies Group. Em 2015, o jornal estatal chinês Global Times identificou veículos similares com os mesmos logotipos e pintura branca e verde em Hangzhou como sendo produzidos pela Kandi.

Na foto que circula nas publicações enganosas e na imagem vista no Chinanews podem-se notar os mesmos elementos, como os edifícios ao fundo, uma torre elétrica, além da cor e forma dos carros.

Comparação feita em 23 de julho de 2021 entre a foto viralizada (E) e a captura de tela de uma imagem no artigo publicado pelo People’s Daily

A localização exata da captura de tela pode ser confirmada por meio de imagens de satélite da área de Shuangpuzhen no Zoom Earth, onde o estacionamento e os edifícios vistos, assinalados na foto viralizada, são identificados.

Captura de tela feita em 23 de julho de 2021 da imagem por satélite obtida pelo Zoom.earth da área do estacionamento, com a região dos edifícios marcada em verde pela AFP

As torres de alta tensão visíveis na imagem que circula nas redes sociais também podem ser vistas na estrada, a sul do estacionamento.

Captura de tela feita em 23 de julho de 2021 da imagem por satélite obtida pelo Zoom.earth da área do estacionamento, com a localização das torres de eletricidade marcada em verde pela AFP

Os veículos pertencem à Microcity, uma empresa que aluga veículos de uso compartilhado com sede em Hangzhou, subsidiária de uma companhia chamada Zhejiang Zuozhongyou Electric Car Service Limited, de acordo com o ex-gerente de marca da empresa, Lou Gaofeng. “Os veículos da foto pertenciam à Hangzhou Microcity”, ele confirmou à AFP.

O serviço de viagens compartilhadas em automóveis elétricos da Microcity foi lançado em Hangzhou em 2013 a fim de minimizar os problemas ligados às emissões de gases, ao congestionamento de trânsito e ao espaço limitado para estacionamento, segundo o site do governo local.

Esse tipo de serviço tem tido problemas para manter rentável o seu modelo de negócios na China. Em 2019, o jornal South China Morning Post, com sede em Hong Kong, noticiou que muitas empresas haviam ido à falência após o auge dos aplicativos de compartilhamento de viagens nos anos 2010.

Meios de comunicação chineses têm reportado desde 2019 que milhares de carros elétricos da Microcity foram parar em zonas de estacionamento nos arredores de Hangzhou (1, 2, 3).

Lou disse ao jornal local de Hangzhou em abril de 2019 que cerca de três mil automóveis da Microcity estavam estacionados em três espaços diferentes, localizados ao longo do rio Qiantang. Entretanto, de acordo com o ex-gerente da empresa, nem todos os carros apresentavam falhas.

“Naquele momento havia explicado claramente que nem todos tinham problemas. Alguns tinham inadequações, outros ainda eram utilizáveis, outros eram antigos o suficiente para serem vendidos a outra empresa e desmontados”, indicou Lou à AFP.

“Em segundo lugar, não tinha nada a ver com a combustão espontânea da bateria, a maioria deles eram veículos elétricos de primeira geração que haviam sido produzidos em 2013, ou mesmo antes, e deviam ser substituídos pelo avanço tecnológico”, acrescentou.

A atual administração da Microcity não respondeu às consultas da AFP sobre o que planeja fazer com os carros no futuro.

No início de julho de 2021, um jornal argentino de grande circulação também mencionou o tema, sob o título “Descoberto um cemitério de milhares de carros elétricos na China”.

Em outro texto, como este, é feita menção ao abandono dos carros elétricos e a um fato similar na França, que também viralizou nas redes e foi verificado pela AFP, em espanhol, em junho de 2021.

Tradução e adaptação
Clima