Um eleitor na urna eletrônica durante as eleições municipais em São Paulo, em 15 de novembro de 2020 (Nelson Almeida / AFP)

Drauzio Varella não minimizou covid-19 em campanha de mesário voluntário para eleições 2020

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações viralizadas nas redes sociais desde agosto de 2020 afirmam que o médico Drauzio Varella, que participou da campanha do Tribunal Superior Eleitoral estimulando que os cidadãos se voluntariassem como mesários nas eleições municipais, voltou a considerar a covid-19 uma “gripezinha”. Mas isto é enganoso. Varella indicou que a eleição é uma atividade essencial e especificou que deveriam se voluntariar os indivíduos que não fizessem parte do grupo de risco.

“O covid voltou a ser uma gripezinha, venha ser um mesário voluntário, eu e o TSE declaramos os candidatos imunes” e “Antes do carnaval. É só uma gripezinha; Depois do carnaval. Fique em casa!!; Época de eleição. Saia de casa. Seja um mesário voluntário”, assinalam algumas postagens, que somam mais de 24,4 mil compartilhamentos no Facebook (1, 2, 3), desde o último dia 23 de agosto.

Afirmações semelhantes também circularam no Instagram (1, 2), onde muitos usuários demonstraram a sua indignação.

Captura de tela feita em 15 de novembro de 2020 de uma publicação no Facebook

As postagens fazem referência a um vídeo publicado por Drauzio Varella em 30 de janeiro de 2020, agora apagado, em que ele dizia que continuaria andando nas ruas apesar do novo coronavírus: “Claro, claro que vou. Não acho que se justifique qualquer mudança nos hábitos. [...] De cada 100 pessoas que pegam o vírus, 80, 90 pessoas têm um resfriadinho de nada”.

Naquele momento, o coronavírus ainda não havia chegado ao Brasil, que registrou o primeiro caso em 26 de fevereiro, e a pandemia só seria declarada em 11 de março.

Em nota publicada em 22 de março, o Portal Drauzio Varella assinalou que as recomendações de 30 de janeiro “não valem mais”. Desde então, o médico publicou outras gravações sobre este tema e afirmou que a população deveria ter bom senso diante do novo coronavírus.

Mas na recente campanha para o TSE, o médico não estava minimizando os impactos da covid-19 ao estimular que as pessoas se voluntariassem como mesários nas eleições municipais.

Campanha para mesário voluntário

Na peça publicitária divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em agosto, Drauzio Varella destacou os cuidados oferecidos aos mesários nestas eleições: “A Justiça Eleitoral tem a maior consideração por você, mesário voluntário. Vai oferecer toda a segurança para que você exerça essa função importantíssima para nossa democracia. Seja um mesário voluntário”.

E deu a seguinte orientação a respeito da covid-19: “Se você não faz parte do grupo de risco para o coronavírus, entre no site do Tribunal Regional Eleitoral do seu estado e veja como fazer a sua inscrição! Você receberá tudo o que a lei prevê: alimentação, folgas, treinamento on-line, equipamento de proteção e materiais para esterilização”.

Um eleitor em São Paulo, em 15 de novembro de 2020 (Nelson Almeida / AFP)

Por conta dos questionamentos em razão de sua participação nesta campanha, Drauzio Varella publicou em outubro de 2020 um esclarecimento, indicando que as eleições “são essenciais” e que “havia o temor de que não conseguíssemos realizar as eleições deste ano por falta de mesários. E o TSE decidiu lançar uma campanha, garantindo que todos os protocolos de prevenção à covid-19 seriam respeitados”.

E reforçou que a indicação era direcionada a pessoas que não fizessem parte do grupo de risco do novo coronavírus se prontificassem a trabalhar:

Varella ainda reforçou em sua participação que as pessoas que pudessem ficassem em casa e evitassem sair para o que não fosse essencial.

Segundo a Fiocruz, o grupo de risco da covid-19 é composto por pessoas com anemia falciforme, problemas respiratórios, fumantes de longa data, hipertensos, diabéticos, pessoas com doenças crônicas e idosos.

Para ser mesário é preciso ter mais de 18 anos e não pode ser candidato, ou seu parente até o segundo grau, assim como o cônjuge, membro de diretórios de partidos que exerça função executiva, autoridade e agente policial, ou funcionário de cargo de confiança do Executivo, ou que pertença ao serviço eleitoral.

Em junho, as eleições municipais já haviam sido adiadas de outubro para novembro devido à pandemia de coronavírus.

Assim, o TSE lançou o Plano de Segurança Sanitária com protocolos, medidas e recomendações, entre as quais estava a extensão do horário de votação - das 7h às 17h -, horário preferencial para idosos, distanciamento de pelo menos um metro nas filas, uso obrigatório de máscara e a dispensa da biometria.

Em resumo, é enganoso que Drauzio Varella tenha estimulado que os mesários se voluntariassem porque a covid-19 voltou a ser uma “gripezinha”. A campanha focava no fato dos mesários não serem do grupo de risco e o médico se pronunciou em outras ocasiões estimulando o distanciamento e o isolamento social em ocasiões que não fossem essenciais.

AFP Brasil
Eleições 2020