Em vídeo, Bolsonaro chamou opositores de marginais e terroristas, e não apoiadores

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não denominou, em uma gravação, seus apoiadores de marginais e terroristas. Um vídeo visualizado mais de 250 mil vezes circula nas redes sociais desde 5 de novembro de 2022 com a afirmação de que o mandatário se referia dessa forma a seus eleitores que ocupam as ruas em atos contra o resultado das eleições. No entanto, a cena foi gravada em junho de 2020, quando Bolsonaro criticou manifestantes "antifas" que protestavam contra seu governo.

"URGENTE: Após reunião com Generais, Bolsonaro chama apoiadores de Marginais Terroristas", diz uma das publicações compartilhadas com um vídeo no Twitter, no Facebook, no TikTok e no Kwai.

Captura de tela feita em 12 de novembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

As publicações virais circulam em meio a atos antidemocráticos realizados por alguns apoiadores de Jair Bolsonaro que não aceitam a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 30 de outubro.

Entretanto, o vídeo compartilhado como se mostrasse Bolsonaro chamando seus apoiadores de "marginais" e "terroristas" não corresponde a esses protestos.

Uma busca no Google pelos termos "Bolsonaro", "marginais" e "terroristas" leva a um vídeo publicado em 3 de junho de 2020 de uma entrevista concedida pelo presidente em Brasília.

Na entrevista, Bolsonaro não se refere a seus apoiadores, mas a "antifas", integrantes de grupos antifascistas, que, segundo ele, "ameaçavam" fazer protestos contra o seu governo em várias cidades do país e no Distrito Federal:

A fala do mandatário repercutiu na imprensa.

Dias depois, em 7 de junho de 2020, foram realizados outros protestos pacíficos em cidades de todo o país contrários e favoráveis ao governo federal.

Esse conteúdo também foi verificado pelo Aos Fatos, pelo Estadão Verifica e pelo Yahoo.

Eleições 2022