Jogadora da seleção foi impedida de usar bandeira do Brasil em premiação por norma da Conmebol

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Usuários alegam que por conta da “esquerda desgraçada” uma jogadora da seleção brasileira de futebol foi impedida de usar uma bandeira do país após ganhar a Copa América Feminina, em 30 de julho passado. O vídeo da cena, com mais de 3 milhões de visualizações nas redes sociais, mostra, no entanto, a aplicação de uma regra da Conmebol, que não permite em uma cerimônia de premiação o uso de bandeiras de países.

“Absurdo, jogadora não pode usar bandeira do brasil, não pode comemorar. ê esquerda desgraçada, esquerda nojenta!”, diz a narração do vídeo que circula no Facebook, Instagram, Twitter, YouTube e TikTok.

Captura de tela feita em 5 de agosto de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

O vídeo mostra a atacante Gio Queiroz sendo abordada por um homem após a vitória por 1x0 contra a Colômbia, na final da Copa América Feminina, em 30 de julho de 2022. Nas imagens, após ele se aproximar da jogadora, ela retira a bandeira brasileira que estava em suas costas e a entrega a ele.

Mas apesar de as publicações chamarem a cena de absurda e insinuarem uma suposta relação com a esquerda, a proibição é descrita no regulamento oficial da competição, feito pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

O artigo 107, que dispõe sobre a cerimônia de premiação e entrega de troféus e medalhas, destaca:

Após a premiação, já com a medalha, Queiroz retuitou em sua conta uma foto envolta com a bandeira brasileira. No dia seguinte, uma publicação da conta oficial da Copa América também mostrou a jogadora com a bandeira enquanto beijava o troféu do torneio.

A Conmebol enviou à AFP um posicionamento no mesmo sentido: “Na imagem de referência, se vê como um dos nossos delegados do jogo gentilmente pediu à jogadora a bandeira que ela carregava, que foi devolvida a ela após a cerimônia de premiação”.

A Confederação também afirmou que seus protocolos de premiação são similares para todos os torneios representados por ela.

Nas imagens a seguir, pode-se observar que os jogadores das seleções campeãs da Copa América Feminina, Brasil, e da masculina, Argentina em 2021, não carregam bandeiras dos seus países ao receberem o troféu na cerimônia de premiação.

Jogadoras do Brasil recebem o troféu da Copa América Feminina após a partida contra a Colômbia, no Estádio Alfonso Lopez, em Bucaramanga, Colômbia, em 30 de julho de 2022 ( AFP / Raul Arboleda)
Jogadores da Argentina celebram a vitória da Copa América de 2021 após o jogo contra o Brasil, no Maracanã, em 10 de julho de 2021 ( AFP / Carl de Souza)

 

 

Eleições 2022