Beber água fervida com alho não cura o novo coronavírus, garantem especialistas e autoridades de saúde

Publicações compartilhadas milhares de vezes em diversos idiomas garantem que o novo coronavírus “pode ser curado” bebendo água fervida com alho. A alegação é falsa: as autoridades sanitárias internacionais não identificaram ainda nenhum tratamento específico para a doença.

“Boas notícias! O Wuhan CORONA VIRUS pode ser curado com uma tigela de água de alho recém-fervida. Um velho médico chinês provou sua eficácia. Muitos pacientes também mostraram que isso é eficaz”, garante um texto, compartilhado centenas de vezes, ao menos desde 12 de março, em diversas publicações no Facebook (1, 2, 3, 4)

A mensagem continua com uma série de indicações de como preparar o suposto remédio caseiro: “Para oito (8) dentes de alho picados, adicione sete (7) xícaras de água e deixe ferver. Coma e beba água fervida com alho. Melhore e cure da noite para o dia! Por favor, compartilhe com todos os contatos. Pode ajudar a salvar vidas”.

O texto viralizado também circula no Twitter (1, 2, 3), além de ter sido compartilhado mais de 9 mil vezes em espanhol, francês e inglês.

Captura de tela feita em 18 de março de 2020 mostra texto publicado no Facebook

No entanto, a afirmação não tem fundamento científico.

“Sem evidência científica”

Até 18 de março, nem a Organização Mundial da Saúde (OMS), nem o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, nem o Ministério da Saúde brasileiro recomendaram o uso de água fervida com alho como tratamento para o novo coronavírus. Tampouco o fizeram as autoridades sanitárias francesas, o Instituto Nacional de Saúde da Colômbia, ou os Ministérios da Saúde do México, Chile e Argentina.

A OMS, inclusive, se pronunciou sobre o tema na seção de seu site sobre rumores envolvendo a COVID-19 dizendo: “O alho é um alimento saudável que pode ter algumas propriedades antimicrobianas. No entanto, não há evidências de que comer alho tenha protegido pessoas do novo coronavírus”.

Da mesma maneira, o Ministério da Saúde brasileiro afirmou que a mensagem é falsa uma vez que “até o momento, não há nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo coronavírus (COVID-19)”.

A informação foi reiterada pelo médico Wasim Khawaja, do Instituto de Ciências Médicas do Paquistão, que disse à AFP que “não há evidência científica que confirme que a água de alho fervida seja um tratamento efetivo contra o novo coronavírus e tampouco há pesquisa médica sobre este tema”.

Khawaja também advertiu que “as publicações que afirmam em redes sociais que um vegetal ou uma erva são curas para o novo coronavírus são enganosas e podem ter efeitos nocivos porque as pessoas usam esses métodos e não vão aos hospitais fazer exames”.

Segundo o CDC, não existe um tratamento antiviral específico recomendado para pacientes do novo coronavírus: “As pessoas com COVID-19 devem receber cuidados de apoio para ajudar a aliviar os sintomas. Em casos graves, o tratamento deve incluir atenção médica para apoiar o funcionamento dos órgãos vitais”.

Para ajudar a identificar os casos de COVID-19 e limitar os riscos de propagação, as autoridades sanitárias internacionais listaram algumas diferenças entre os sintomas do coronavírus, das gripes tipo A e B e do resfriado comum.

Muitas publicações viralizadas fornecem conselhos incorretos sobre como prevenir ou tratar o novo coronavírus. O AFP Checamos também já verificou outras afirmações sobre a doença.

Desde que o vírus foi detectado na China em dezembro do ano passado, e até 18 de março de 2020, foram registrados mais de 200 mil casos de contaminação em todo o mundo, causando a morte de mais de 8 mil pessoas. Em 11 de março deste ano, a OMS declarou a COVID-19 como uma “pandemia”, denunciando “níveis alarmantes de propagação e inação”.