O vídeo de uma luz cruzando os trilhos de trem mostra efeitos visuais gerados por computador, não uma centelha, ou raio globular

Uma gravação que supostamente capturou um raio ou relâmpago globular, uma esfera ou centelha, - fenômeno meteorológico pouco comum e muito perigoso - cruzando os trilhos de um trem foi compartilhada mais de 35 mil vezes nas redes sociais desde o último mês de janeiro. A gravação, contudo, é uma demonstração de efeitos visuais criados por um designer bielorrusso. As centelhas, por sua vez, não duram tanto tempo como o percorrido na sequência.

“Raio globular registrado em Janeiro se 2014 em Lanzhou, China. Um raio ou relâmpago globular é um fenômeno atmosférico elétrico ainda inexplicado”, indica a publicação de um vídeo no Facebook, que circula desde 9 de janeiro de 2020.

A gravação de 24 segundos mostra uma esfera de luz que cruza lentamente os trilhos de uma ferrovia, soltando clarões e raios intermitentes até que explode perto de algumas árvores.

Mais de 35 mil usuários compartilharam esta sequência no Facebook (1, 2, 3), Twitter, Instagram (1) e YouTube (1, 2).

O vídeo deu a volta ao mundo circulando em diferentes idiomas como eslovaco, francês, espanhol, inglês, árabe e russo. Em japonês, inclusive, o fenômeno foi atribuído a um ovni, ou a um fantasma.

Captura de tela feita em 14 de abril de 2020 no Facebook

Vídeo original

Uma busca reversa* por um dos fotogramas realizada com a ferramenta InVid & WeVerify permitiu encontrar o registro mais antigo do vídeo viralizado. Este pertence ao artista gráfico bielorrusso Andrei Truchonovec, que publicou a gravação original em 27 de maio de 2019 em seu canal no YouTube.

O título do vídeo no YouTube indica, em russo, que se trata de uma demonstração de efeitos visuais, cuja tradução livre para o português é: “Raio de bola captado em vídeo perto de ferrovias [CGI]”.

A sigla CGI provém da formulação em inglês Computer-Generated Imagery, que se refere à criação de uma imagem por computador.

Nos comentários da gravação é possível constatar que o autor ficou surpreso diante do compartilhamento de seu vídeo por pessoas que acreditavam se tratar de um raio globular. “Fiz esse vídeo quando havia acabado de começar a aprender gráficos por computador, por isso há muitos erros”, acrescenta.

Captura de tela feita em 10 de abril de 2020 dos comentários no vídeo original no YouTube

A equipe de checagem da AFP entrou em contato com Truchonovec, que explicou a origem do vídeo: “Estudei gráficos por computador e efeitos visuais. Naquele momento estava jogando um jogo de computador da série ‘Metro’, por isso não foi muito difícil pensar neste tema. O videogame Metro 2033, derivado de um livro com o mesmo título, também mostra um fenômeno similar a uma bola de raio chamada Anomaly.

Um fenômeno único

O fenômeno conhecido como raio globular, raio de bola, ou centelha, é extremamente raro e não existe uma teoria comprovada de sua origem.

No entanto, foram compilados depoimentos, registros históricos e recentes, bem como advertências de que tais fenômenos podem ser muito perigosos, ou causar danos materiais e queimaduras em seres vivos.

A primeira pesquisa científica deste fenômeno remonta a 1838, mas o conhecimento atual que se tem se baseia principalmente em observações empíricas.

Por exemplo, no verão do hemisfério norte de 2012, um grupo de cientistas chineses da Universidade Noroeste Normal de Lanzhou realizou uma pesquisa de raios no planalto tibetano ao observar um raio esférico. Também conseguiram gravá-lo digitalmente. O vídeo deste evento é composto por 82 tomadas individuais capturadas por uma câmera especial durante um flash de apenas 1,64 segundo.

Captura de tela feita em 10 de abril de 2020 de um gráfico da pesquisa

Esta pesquisa demonstra que o raio globular não flutua lentamente a poucos centímetros do solo e não dura tanto tempo como na gravação de Truchonovec.

Em resumo, o vídeo que viralizou em todo o mundo não mostra um raio globular, ou centelha. Trata-se, na verdade, da criação em computador por um designer de efeitos visuais bielorrusso.

*Uma vez instalada a extensão InVid & WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.